Esclarecimento e dominação masculina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.23.p313

Palavras-chave:

esclarecimento, civilização, dominação masculina, natureza

Resumo

O diagnóstico fundamental da modernidade de uma perspectiva da teoria crítica incluía o entrelaçamento entre mito e esclarecimento durante o processo de civilização ocidental. Esse artigo pretende analisar tal diagnóstico com base nas considerações apresentadas no livro Dialética do Esclarecimento, levando em consideração o fato de que a modernidade é um projeto fundamentalmente masculino. Se, por um lado, como portadores por excelência da racionalidade ocidental, os homens recusaram às mulheres a “honra da individualização” para estabelecer a dominação masculina, por outro, a indefinição da identidade feminina é justamente o elemento que pode se apresentar como uma potencialidade do ponto de vista da crítica do esclarecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia da Silva Santos, Universidade Federal do Pará

Professora Adjunta da Faculdade de Ciências Sociais/UFPA. Doutorado em Sociologia (USP) e Pós-doutorado em Teoria e História Literária (Unicamp).

Referências

ADORNO, Theodor. Educação e emancipação. Tradução: Wolfgang Leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

ADORNO, Theodor W. e HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Tradução: Guido de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

ADORNO, Theodor. Minima moralia. Tradução: Gabriel Cohn. Rio de Janeiro: Azougue, 2008.

BÄCHI, Beat. 2003. Georg Simmel und die Frauen: Macht – Körper – Wissen. Disponível em: http://socio.ch/sim/on_simmel/t_baechi.htm. Acesso em 10/01/2019.

BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo. v.I, II. Tradução Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

BENHABIB, Seyla e CORNELL, Drucilla (org). Feminismo como crítica da modernidade. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1987.

BENHABIB, Seyla. Situating the Self: gender, community and postmodernism in contemporary ethics. New York: Routledge, 1992.

BUTLER, J. Merely Cultural. Social Text. vol. 15, n. 3-4, p. 265-277, 1997.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

COMMAY, Rebecca. Adorno’s Siren Song. In: HEBERLE, Renée (org.). Feminist Interpretations of Theodor Adorno. Pennsylvania: The Pennsylvania State University Press, 2006, p. 41-67.

COHN, Gabriel. As diferenças finas: de Simmel a Luhmann. Revista brasileira de Ciências Sociais 13(38): 53-62, 1998.

COHN, Gabriel. Alguns problemas de leitura e tradução de Minima Moralia, in ADORNO, Theodor. Minima Moralia. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2008.

FRASER, Nancy. Fortunes of feminism. From State-managed capitalism to neoliberal crisis. Londres, Nova Iorque: Verso, 2013.

FREUD, Sigmund. O mal-estar na cultura. Tradução: Renato Zwick. São Paulo: L&PM, [1929] 2010.

FREUD, Sigmund. Psychoanalytische Bemerkungen über einen autobiographisch beschriebenen Fall von Paranoia (Dementia paranoides) In FREUD, Sigmund. Studienausgabe Band VII. Frankfurt a. M.: S. Fischer Verlag, [1911] 1973.

HEWITT, Andrew. A Feminine Dialectic of Enlightenment? Horkheimer and Adorno Revisited. In: HEBERLE, Renée (org.). Feminist Interpretations of Theodor Adorno. Pennsylvania: The Pennsylvania State University Press, 2006, p. 69-96.

HOMERO. “Canto X”; “Canto XII. In: Odisseia. Tradução Donaldo Schüler. Porto Alegre: L&M Pocket, 2008.

Lichtblau, Klaus. Kulturkrise und Soziologie um die Jahrhundertwende. Zur Genealogie der Kultursoziologie in Deutschland. Frankfurt a. M.: Suhrkamp, 1996.

PATEMAN, Carole. O contrato sexual. Tradução Marta Avancini. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

RÜHLE-GERSTEL, Alice. Die Frau und der Kapitalismus [A mulher e o capitalismo]. Frankfurt: Neue Kritik, [1932] 1972.

SCOTT, Joan Wallach. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, vol. 20, nº 2, jul./dez. 1995, p. 71-99.

SIMMEL, Georg. Weibliche Kultur [Cultura feminina]. In: SIMMEL, Georg. Gesamtausgabe, vol. 14. Frankfurt a. M.: Suhrkamp, [1902] 1995.

SIMMEL. Die Rolle des Geldes in den Beziehungen der Geschlechter In: SIMMEL, Georg. Schriften zur Philosophie und Soziologie der Geschlechter. Frankfurer a. M.: Suhrkamp, [1898] 1985.

WIGGERSHAUS, Rolf. Die Frankfurter Schule. Munique: Deutscher Taschenbuch Verlag, 2008.

Recebido: 24/03/2018 - Aceito: 23/02/2020

Downloads

Publicado

2020-09-10 — Atualizado em 2021-08-31

Como Citar

Santos, P. da S. (2021). Esclarecimento e dominação masculina. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 43(3), 313–334. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.23.p313

Edição

Seção

Artigos e Comentários