Fenomenologia e psicopatologia em Sartre

“irreal normal” e “irreal patológico”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2019.v42n1.09.p179

Palavras-chave:

Fenomenologia, Psicopatologia, Imaginação, Consciência

Resumo

Este artigo pretende investigar a maneira pela qual o filósofo francês Jean-Paul Sartre enquadra, em sua psicologia fenomenológica da imaginação, a problemática acerca do irreal normal e do irreal patológico. Estruturando psicofenomenológicamente a atividade da consciência imaginante, veremos que a imagem (consciência imaginante) difere radicalmente da percepção (consciência perceptiva), mas ambas permanecem, contudo, consciência intencional. Nesta toada, cabe a indagação: se toda consciência imaginante é consciência intencional (o que significa, igualmente, que ela é consciência de si mesma), como enquadrar as experiências alucinatórias?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Fujiwara, Universidade Federal de São Paulo/Fapesp

Doutor em Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP – Brasil.
https://orcid.org/0000-0002-3971-9632 E-mail: fujiwaragustavo@gmail.com
Durante o doutoramento, fez estágio de pesquisa na Université Paris VIII. Atualmente, é pós-doutorando em Filosofia, com bolsa Fapesp, no Departamento de Filosofia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Downloads

Publicado

2019-03-31

Como Citar

Fujiwara, G. (2019). Fenomenologia e psicopatologia em Sartre: “irreal normal” e “irreal patológico”. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 42(1), 179–200. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2019.v42n1.09.p179

Edição

Seção

Artigos e Comentários