Deleuze e a imagem

um problema estético

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2019.v42n3.09.p153

Palavras-chave:

Imagem, Ideia, Signo

Resumo

Este artigo busca investigar possíveis significações da palavra “imagem”, que se depreendam dos textos de Deleuze sobre as artes, através de uma pesquisa filológica que respeita a cronologia de suas obras. Essa noção de imagem, fundamental para a Estética, aparece em seus comentários sobre Proust, o cinema, Bacon e Beckett, principalmente, seja com o uso do termo “imagem”, seja com os termos “signo” e “ideia”, àquele correlatos. Assim, verifica-se um vácuo na década de 70, de modo que, se a noção de signo é estudada na década anterior, ao tratar de Proust, e a de ideia, em Diferença e repetição, o tema “imagem” é retomado nas duas décadas subsequentes com toda a intensidade, ao abordar a pintura de Bacon, o universo cinematográfico e a obra teatral e televisiva de Beckett.

Recebido: 10/10/2017
Aceito: 11/04/2019

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danilo Bilate, UFRRJ

Professor Adjunto do Departamento de Filosofia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Seropédica, RJ – Brasil

Downloads

Publicado

2019-09-27

Como Citar

Bilate, D. (2019). Deleuze e a imagem: um problema estético. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 42(3), 153–170. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2019.v42n3.09.p153

Edição

Seção

Artigos e Comentários