Monismo da duração e ontologização do passado

sobre a leitura deleuzeana de Bergson

Autores

  • Fernando Monegalha

Palavras-chave:

duração - monismo - virtual - atual - ontologia

Resumo

Trata-se de avaliar a justiça da leitura deleuzeana de Bergson, partindo de duas problemáticas principais: o monismo da duração, que Deleuze enxerga e defende em Bergson, e a ontologização do passado, a qual ele promove em sua apreciação da filosofia bergsoniana. Como procuraremos mostrar, se o primeiro ponto (o monismo da duração) parece particularmente equivocado, o segundo ponto (a ontologização do passado) parece encontrar guarida em alguns trechos da obra de Bergson.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Monegalha

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Publicado

2017-05-16 — Atualizado em 2023-02-21

Como Citar

Monegalha, F. (2023). Monismo da duração e ontologização do passado: sobre a leitura deleuzeana de Bergson. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 40(2), 193–216. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/6925

Edição

Seção

Artigos e Comentários