Análise objetiva e apreensão subjetiva na metafísica bergsoniana. A intuição da vida e o crivo dos fatos

Autores

  • Débora Morato Pinto

Palavras-chave:

Duração. Vida. Biologia. Cosmologia. Intuição. Experiência.

Resumo

Este artigo intenciona mostrar como o método filosófico desenvolvido e aplicado por Bergson, a intuição, articula distintos níveis de nossa experiência. Para isso, buscaremos extrair algumas lições de um momento especial da aplicação desse método, no qual o mergulho na interioridade psicológica se relaciona com a visão objetiva da exterioridade. Trata-se aqui de retomar o bloco central da obra A Evolução Criadora, núcleo metafísico da filosofia bergsoniana, no qual encontramos a reinterpretação dos dados da biologia que deriva na cosmologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Morato Pinto

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Publicado

16-05-2017 — Atualizado em 21-02-2023

Como Citar

Pinto, D. M. (2023). Análise objetiva e apreensão subjetiva na metafísica bergsoniana. A intuição da vida e o crivo dos fatos. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 40(2), 9–46. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/6915

Edição

Seção

Artigos e Comentários