Como escolher um exemplo? De qualquer um para qualquer um

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2019.v42n4.10.p187

Palavras-chave:

Exemplo, Particularidade, Universal, Singular, Modelo

Resumo

Como escolher um exemplo? O que se passa como um simples dado pode ser o mais complexo: o critério de escolha. Alguns casos servem de exemplo e outros não. Por quê? O objetivo deste texto é tentar dar algum critério para esse tipo de escolha. O caminho escolhido para tal foi tomar um caso da psicopatologia freudiana: o caso Dora. Por que esse caso é considerado o exemplo de histeria? Para responder a essa questão, recorre-se ao pensamento de Agamben, principalmente quando se diferencia o exemplo da exceção; além de outros pensadores contemporâneos, recorre-se também a Foucault, quando este nos mostra o que seria o pensamento do exterior. O texto busca determinar por que o exemplo recai no caso de singularidade – algo que nem é particular e nem universal. Há um paradigma em dar um exemplo: nem todos valem. Por quê?

Recebido: 04/04/2017
Aceito: 07/11/2017

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo Manzi, Faculdade de Inhumas (FACMAIS)

Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Inhumas (FACMAIS), Inhumas, GO – Brasil.

Downloads

Publicado

2020-01-02

Edição

Seção

Artigos/Articles