A deutsche Nation e a Razão Tupiniquim

o pensamento vivo diante do conceito estéril

Autores

  • Luis Fellipe Carvalho Garcia Université Catholique de Louvain

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2018.v41n4.04.p53

Palavras-chave:

Razão, língua, colonização, educação

Resumo

Este artigo é um exercício de leitura comparada dos textos Reden an die deutshce Nation, publicado por Johann Gottlieb Fichte em Berlim em 1808, e Crítica da Razão Tupiniquim, publicado por Roberto Gomes em São Paulo em 1977. Se à primeira vista, os dois universos de discurso parecem tão distantes que dificilmente se vê o que lhes aproxima, parece contudo haver uma flama comum que anima suas palavras na medida em que ambos buscam evitar o aprisionamento do espírito local nos grilhões de um universo simbólico que não é o seu. O objetivo deste estudo é explorar cada uma das obras em seus respectivos contextos afim de delinear os aspectos dessa chama comum que lhes motiva; após a confrontação dos dois textos, far-se-á, como conclusão, um breve esboço dos possíveis ganhos dessa abordagem comparativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-31

Como Citar

Garcia, L. F. C. (2018). A deutsche Nation e a Razão Tupiniquim: o pensamento vivo diante do conceito estéril. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 41(4), 53–74. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2018.v41n4.04.p53

Edição

Seção

Artigos e Comentários