CROSSING BORDERS. A FILOSOFIA DA IDENTIDADE E A TRANSCULTURALIDADE NA ARTE CONTEMPORÂNEA AFRICANA

Autores

  • MARITA RAINSBOROUGH

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732016000500009

Palavras-chave:

Identidade pessoal e coletiva, Transculturalidade, Arte africana contemporânea, Diáspora africana, The culture game

Resumo

No centro da filosofia de Kwame A. Appiah encontra-se a questão da identidade. Partindo do conceito da liberdade de Mill, ele considera a criação de uma identidade pessoal, no sentido de individualidade particular, uma tarefa permanente – como projeto individual. Nesse contexto, os planos de vida não devem ser concebidos como genericamente rigorosos, mas sim incoerentes e muitas vezes mutantes. Com isso, a identidade não se deve entender como algo fixo e cerrado, porém, como uma espécie de mosaico de vários elementos que se encontram em reprogramação contínua – como formação híbrida. A construção da identidade encerra a narração de histórias de vida, tanto individual como coletiva. Os respectivos elementos podem recorrer a diferentes experiências transculturais, consoante a história coletiva e a história de vida do indivíduo. Assim, a transculturalidade é importante, não só para identidades coletivas, como também sempre em nível de identidade pessoal. O filósofo africano Achille Mbembe alude ao nomadismo do ser humano e à imersão e dispersão culturais associadas que se deixam ler como processos da transculturalidade. Na arte africana contemporânea, esses processos da formação da identidade refletem-se no transcultural. Como exemplos, devem ser apresentados os artistas Edson Chagas, Kehinde Wiley, Yinka Shonibare e Romuald Hazoumè, com obras selecionadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

MARITA RAINSBOROUGH

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Downloads

Publicado

2017-01-17

Como Citar

RAINSBOROUGH, M. (2017). CROSSING BORDERS. A FILOSOFIA DA IDENTIDADE E A TRANSCULTURALIDADE NA ARTE CONTEMPORÂNEA AFRICANA. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 39(Special Issue), 133–154. https://doi.org/10.1590/S0101-31732016000500009

Edição

Seção

Artigos e Comentários