As Concepções de Liberdade de Locke e Sidney

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2019.v42n1.04.p57

Palavras-chave:

Locke, Sidney, liberdade, governo, lei

Resumo

O objetivo deste texto é cotejar as concepções de liberdade natural e de liberdade civil de John Locke e de Algernon Sidney. Se ambos escreveram seus tratados em resposta ao panfleto de Robert Filmer, Patriarcha, or the naturall Power of kings defended against the unnatural liberty of the people, com críticas muito parecidas, as concepções de liberdade enunciadas, apesar das semelhanças, apresentam nuanças significativas, com relevantes implicações em alguns casos, como na possibilidade do governo deter a prerrogativa de agir em casos não previstos pelas leis civis ou de maneira contrária às leis civis em situações de emergência. A intenção é mostrar que essas diferenças resultam em duas perspectivas distintas de pensar a relação entre governo e lei civil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Ribeiro Gonçalves de Barros, Universidade de São Paulo

Professor Associado em Ética e Filosofia Política da Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP – Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8444-4810 E-mail: abarros@usp.br
Livre-Docente, Doutor e Mestre pela USP. Autor dos livros: A teoria da soberania de Jean Bodin (Unimarco Editora/ Fapesp, 2001), Dez lições sobre Bodin (Vozes, 2011), O conceito de soberania na filosofia moderna (Barcarolla, 2013), Republicanismo inglês: uma teoria da liberdade (Discurso Editorial/FAPESP, 2015), Ensaios sobre o republicanismo inglês (Novas Edições Acadêmicas, 2017) e Republicanismo inglês: Sidney e a semântica da liberdade (Discurso Editorial/Fapesp, 2018).

Downloads

Publicado

2019-03-31

Como Citar

Barros, A. R. G. de. (2019). As Concepções de Liberdade de Locke e Sidney. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 42(1), 57–78. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2019.v42n1.04.p57

Edição

Seção

Artigos e Comentários