A DECADÊNCIA DA EXISTÊNCIA: NOTAS SOBRE A MOBILIDADE DA VIDA

Autores

  • Thiago AQUINO

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732015000200003

Palavras-chave:

Heidegger. Movimento. Privação. Ontologia. Si-mesmo.

Resumo

Este artigo tem como temática central o conceito de movimento, visando a examinar a pertinência do alargamento da sua aplicação na descrição fenomenológica da existência humana. Pretendo oferecer uma interpretação possível para a afirmação feita por Heidegger, em Ser e Tempo, de que o fenômeno existencial da decadência [Verfallen] é um conceito ontológico de mobilidade
existencial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago AQUINO

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Downloads

Publicado

2015-08-10

Como Citar

AQUINO, T. (2015). A DECADÊNCIA DA EXISTÊNCIA: NOTAS SOBRE A MOBILIDADE DA VIDA. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 38(2). https://doi.org/10.1590/S0101-31732015000200003

Edição

Seção

Artigos e Comentários