Unicidade e Comunidade: a Recepção de M. Stirner em L’homme Révolté de Albert Camus

Autores

  • José Luis PÉREZ

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000300005

Palavras-chave:

Camus, Stirner, Revolta, Revolução, Comunidade, Individualismo

Resumo

O presente artigo pretender estudar a recepção da filosofia de Max Stirner por Albert Camus em L’Homme révolté, nomeadamente a partir da articulação entre dois conceitos centrais nos pensamentos de ambos os autores: revolta e revolução. Num momento conclusivo, e com base na leitura comparativa entretanto desenvolvida, é proposta uma aferição da validade das objecções feitas pelo ensaísta franco-argelino à filosofia stirneriana, em particular no que à questão da comunidade e unicidade diz respeito.

Publicado

09-12-2013

Edição

Seção

Artigos e Comentários

Como Citar

Unicidade e Comunidade: a Recepção de M. Stirner em L’homme Révolté de Albert Camus. (2013). Trans/Form/Ação, 36(3), 53-68. https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000300005