Do Deserto de Gelo da Abstração ao Filosofar Concreto: Correspondência Adorno-Benjamin (1928- 1940)

Autores

  • Aléxia Bretas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000300014

Palavras-chave:

Adorno, Benjamin, Correspondência, Passagens, Imagens dialéticas

Resumo

Trata-se de uma resenha crítica da controvertida correspondência entre Theodor W. Adorno e Walter Benjamin – dois dos mais expressivos representantes da chamada primeira geração de teóricos críticos associados ao Instituto de Pesquisa Social. Além de remeter suas cartas à respectiva experiência intelectual de cada um deles, este artigo busca oferecer uma análise fundamentada dessa instigante interlocução filosófica, para além da rígida bipolarização entre “adornianos” e “benjaminianos”, que, via de regra, tem predominado em sua recepção especializada, dentro e fora do Brasil. Para isso, procura-se enfatizar o contraponto produtivo entre a Dialética negativa de Adorno e o projeto das Passagens de Benjamin, tomando como centro gravitacional o processo construtivo deste último trabalho – cerne tanto das afinidades, quanto das insolúveis dissonâncias entre os dois autores. Esta pesquisa tem o apoio da FAPESP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-09

Como Citar

Bretas, A. (2013). Do Deserto de Gelo da Abstração ao Filosofar Concreto: Correspondência Adorno-Benjamin (1928- 1940). TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 36(3), 231–250. https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000300014

Edição

Seção

Resenha