Oscilações entre o reducionismo e o fisicalismo não-redutivo no naturalismo biológico de John Searle

Autores

  • Tárik de Athayde Prata
  • Maxwell Morais de Lima Filho

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000200012

Palavras-chave:

Consciência, Reducionismo, Causação mental, Fisicalismo não-redutivo.

Resumo

O artigo examina a concepção de Searle sobre a redução da consciência (em especial a sua teoria acerca de seus poderes causais), que se mostra obscura e incoerente. Porém, essa incoerência não é inevitável, pois o naturalismo biológico possui elementos que permitiriam a articulação de uma teoria mais clara a respeito das capacidades causais. O exame da teoria de Pereboom e Kornblith possibilita entender por que a afirmação de identidade das capacidades causais leva a um reducionismo. Essa teoria aponta um caminho promissor para que se possa aprimorar o naturalismo biológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-07-26

Como Citar

Prata, T. de A., & Filho, M. M. de L. (2013). Oscilações entre o reducionismo e o fisicalismo não-redutivo no naturalismo biológico de John Searle. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 36(2), 195–218. https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000200012

Edição

Seção

Artigos e Comentários