Estruturas e fundamentos sociais: a leitura honnethiana de Habermas

Autores

  • Hélio Alexandre da Silva
  • Herbert Barucci Ravagnani (†)

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000200010

Palavras-chave:

Conflito Social, Intersubjetividade, Habermas e Honneth,

Resumo

O presente artigo pretende sublinhar, na forma de breves apontamentos gerais, os contornos mais amplos da crítica de Honneth a alguns aspectos do pensamento habermasiano. Tal crítica é norteada especialmente por uma investigação dos critérios morais e normativos das lutas sociais que Honneth recupera, por meio de uma apropriação crítica do pensamento do jovem Hegel. O ponto central defendido por Honneth é que as possibilidades da experiência interativo-comunicativa não podem ser resumidas ou tomadas exclusivamente na interação linguística, nem mesmo esta última pode ser perseguida em seu aspecto ideal, sem a pressuposição dos contextos conflituosos nos quais ela sempre está inserida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-07-26

Como Citar

Silva, H. A. da, & Ravagnani (†), H. B. (2013). Estruturas e fundamentos sociais: a leitura honnethiana de Habermas. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 36(2), 155–178. https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000200010

Edição

Seção

Artigos e Comentários