O cartório e a caixa registradora

Autores

  • Hilan Bensusan

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732012000300006

Palavras-chave:

Anerkennung, Escrita, Oralidade, Denotação, Conotação

Resumo

O trabalho considera as relações entre a escrita e o reconhecimento. Os esforços de Derridacomeçaram a mostrar que a distinção entre a oralidade e a escrita é filosoficamente importante – eque muitos problemas filosóficos são problemas da escrita. A partir dessa perspectiva, considero adistinção entre conotação e denotação e a ideia – abraçada por Mill e, mais recentemente, por teoriasda denotação inspiradas em Kripke – de que a denotação prescinde, em grande medida, de conotação.A diferença entre conotação e denotação é então associada à diferença entre a oralidade e a escrita.Nesse contexto, o tema do reconhecimento aparece. O reconhecimento, tal como identificado em umatradição kantiana, também tem nuances relativas à escrita e à oralidade e estas nuances são exploradas.As queixas de Lévinas com respeito ao reconhecimento são então exploradas e analisadas desde umponto de vista gramatológico (isto é, um ponto de vista que dá atenção à escrita). O trabalho terminacom algumas considerações gerais sobre o reconhecimento, a escrita e a

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Bensusan, H. (2012). O cartório e a caixa registradora. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 35(03), 97–112. https://doi.org/10.1590/S0101-31732012000300006

Edição

Seção

Artigos e Comentários