Inteligibilidade e linguagem: pressupostos epistemológicos

Autores

  • Cleverson Leite Bastos

Palavras-chave:

Conceitos. Categorias. Discursivo

Resumo

O presente artigo pressupõe que contextos científicos se reduzem a contextos linguísticos e que, assumindo uma tese wittgensteiniana, portanto, “o mistério não está nas coisas; está no confuso modo que adotamos para falar delas”. Os pressupostos epistemológicos de tal tese fundamentam-se em quatro características da razão mesma, a saber, que: o exercício racional se faz mediante conceitos, até certo ponto inexatos e vagos; os conceitos elaborados pela atividade racional constituem-se em categorias para o pensamento; a atividade racional é discursiva, isto é, fixa-se, expressa-se e comunica-se por meio da linguagem; e, por final, o produto final da atividade racional são os contextos racionais ou contextos científicos que são, na verdade, contextos linguísticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2012-08-03

Como Citar

Bastos, C. L. (2012). Inteligibilidade e linguagem: pressupostos epistemológicos. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 35(02), 239–258. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/2478

Edição

Seção

Artigos e Comentários

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.