SOBRE AS ORIGENS DO VOCABULÁRIO POLÍTICO MEDIEVAL

Autores

  • José Antônio Martins

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732011000500006

Palavras-chave:

Política. Aristóteles. Moerbeke

Resumo

O fenômeno da incorporação do corpo lexical político aristotélico transliterado do grego ao contexto latino do século XIII nos remete a problemas sobre as presenças e ausências terminológicas, não somente na tradução da Política, feita por Guilherme de Moerbeke, e nos comentários de Alberto Magno e Tomás de Aquino ao texto latino de Aristóteles, mas também à possível reverberação desses vocábulos políticos moerbekianos em alguns leitores da Política, no século XIV. Não se trata apenas de veri*cação de quem usou ou não usou tais ou quais termos, nem mesmo da elaboração de juízos sobre esses usos, como que para rotular pensadores; antes, trata-se de tentar individuar, a partir dos usos terminológicos, o surgimento de um novo modo de pensar e compreender a esfera da vida humana que é a dimensão pública, ou melhor, política. Tentaremos compreender, neste artigo, especificamente como emerge, a partir dessa tradução latina da Política, um novo quadro conceitual, a saber: a esfera política. Constataremos que a tradução da Política de Moerbeke consolida um novo vocabulário e um novo quadro conceitual que será, doravante, um dos fundamentos do pensamento político.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-11-30

Como Citar

Martins, J. A. (2011). SOBRE AS ORIGENS DO VOCABULÁRIO POLÍTICO MEDIEVAL. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 34(3), 51–68. https://doi.org/10.1590/S0101-31732011000500006

Edição

Seção

Artigos e Comentários