POSSIBILIDADES E LIMITES DA CURA NOS TEXTOS PROTOARQUEOLÓGICOS DE MICHEL FOUCAULT

Autores

  • Marcos Nalli

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732011000200009

Palavras-chave:

Foucault. Doença Mental. Psicopatologia

Resumo

O artigo tem por objetivo interpretar como Foucault concebe a possibilidade da cura nos discursos e práticas psicológicas, durante sua fase protoarqueológica. Para atingir tal fim, discorre sobre os dois textos mais importantes dessa fase ? Maladie!Mentale!et!Personnalité e a introdução à Le Rêve et l'?Existence ? evidenciando como nesses textos se desenha uma concepção psicopatológica que deve subsidiar uma prática psicoterápica. Constata-se, no entanto, que reina uma contradição inerente aos dois textos, em que ora se completam, ora conflitam no modo de conceber a doença mental. Terminamos assim por demarcar toda a intensidade dessa contradição, sublinhando a indecisão teórica de Foucault sobre o estatuto da psicologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-10-27

Como Citar

Nalli, M. (2011). POSSIBILIDADES E LIMITES DA CURA NOS TEXTOS PROTOARQUEOLÓGICOS DE MICHEL FOUCAULT. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 34(2), 153–178. https://doi.org/10.1590/S0101-31732011000200009

Edição

Seção

Artigos e Comentários