Comentário a “Nietzsche e Brandes: a memória de um radicalismo aristocrático”

Autores

  • Clademir Luís Araldi Universidade Federal de Pelotas - UFPel

Palavras-chave:

Nietzsche, Brandes, Memória, Cultura, Aristocracia

Resumo

Referência do artigo comentado: FEILER, Adilson. Nietzsche e Brandes: a memória de um radicalismo aristocrático. Trans/form/ação: revista de Filosofia da Unesp, v. 45, n. 2, p. 13-38, 2022.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clademir Luís Araldi, Universidade Federal de Pelotas - UFPel

Docente na Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, RS – Brasil e Pesquisador CNPq /.

Referências

BRANDES, Georg. Nietzsche. Eine Abhandlung über aristokratischen Radikalismus. Nachschrift. Berlim: Berenberg, 2004.

FEILER, Adilson. Nietzsche e Brandes: a memória de um radicalismo aristocrático. Trans/form/ação: revista de Filosofia da Unesp, v. 45, n. 2, p. 13-38, 2022.

NIETZSCHE, Friedrich W. Digitale Kritische Gesamtausgabe. Werke und Briefe (eKGWB). Baseada no texto crítico de G. Colli e M. Montinari. Org. por Paolo D’Iorio. Berlim: de Gruyter, 1967. Disponível em: http://www.nietzschesource.org/#eKGWB. Acesso em: 10 dez. 2021.

NIETZSCHE, Friedrich W. Cartas de 1888. Tradução, apresentação e notas de Clademir Araldi. Curitiba: CRV/Moura, 2021.

Recebido: 14/02/2022 - Aceito: 23/02/2022

Publicado

2022-03-29 — Atualizado em 2022-06-21

Como Citar

Araldi, C. L. (2022). Comentário a “Nietzsche e Brandes: a memória de um radicalismo aristocrático”. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 45(2), 39–42. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13168

Edição

Seção

Artigos e Comentários