ECO, U., SEBEOK, T. A. (Orgs.) O signo de três. São Paulo: Perspectiva, 1983.

Autores

  • Lauro F. B. da Silveira
  • Rosana M. Figueiredo
  • Carlos H. de C. Gonçalves
  • Juliano César da Silva

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31731995000100012

Palavras-chave:

Resenha, O signo de três, Arthur Conan Doyle

Resumo

A obra O signo de três é uma compilação de vários artigos elaborados por autores de diversas áreas do saber, confrontando o método de investigação do personagem de Arthur Conan Doyle, Sherlock Holmes, e o argumento abdutivo de C. S. Peirce. O resultado desse embate não poderia ser mais interessante: a análise cognitiva estudada à luz do conhecimento interdisciplinar põe a nu os processos metodológicos e científicos utilizados na ficção. Para não trair a originalidade da obra, será mantido seu caráter antológico, inclusive com suas possíveis repetições. E, a cada capítulo se dedicará um pequeno resumo comentado, reservando as críticas ao momento da conclusão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1995-01-01

Como Citar

Silveira, L. F. B. da, Figueiredo, R. M., Gonçalves, C. H. de C., & Silva, J. C. da. (1995). ECO, U., SEBEOK, T. A. (Orgs.) O signo de três. São Paulo: Perspectiva, 1983. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 18, 157–169. https://doi.org/10.1590/S0101-31731995000100012

Edição

Seção

Resenha