Arquitetura nova antigamente

o que fazer? conversando com um modernista recalcitrante

Autores

  • Otília B. F. Arantes

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31731995000100002

Palavras-chave:

Movimento moderno, Crítica imanente, Habermas

Resumo

Em resposta às questões levantadas por Roberto Schwarz em "O lugar da arquitetura", a autora mostra que por ser arte interessada por definição, a arquitetura não pode ser confinada ao domínio privado do recolhimento estético. Além disso, não se pode perder de vista o seu caráter de massa, ao qual não é indiferente o destino ideológico do Movimento Moderno, não porque tenha sido neutralizada pela mudança dos tempos, mas por ter cumprido o que prometera.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1995-01-01

Como Citar

Arantes, O. B. F. (1995). Arquitetura nova antigamente: o que fazer? conversando com um modernista recalcitrante. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 18, 15–22. https://doi.org/10.1590/S0101-31731995000100002

Edição

Seção

Artigos e Comentários