Vargas e Prestes

uma comparação entre o trabalhismo e o comunismo no Brasil

Autores

  • Patrizia Piozzi Faculdade de Filosofia e Ciências - FFC - Campus de Marília

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31731983000100004

Palavras-chave:

Marxismo, estalinismo, evolução, revolução, imperialismo, democracia, socialismo

Resumo

Este texto veio a constituir parte do segundo capítulo de nossa tese de Mestrado - O Ato Livre: considerações a respeito da política operária - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. Nele, procuro mostrar a impressionante semelhança de pressupostos teóricos subjacentes tanto a um discurso que articula a "concepção burguesa" das relações sociais, criado para o controle da c/asse operária, quanto a seu suposto oponente, que articularia a concepção socialista e que, explicitamente, estaria desenvolvendo o ponto de vista marxista. Com esse objetivo, cotejo os discursos de Getúlio Vargas (pronunciados nos anos de 1946 e 1947) com os quase contemporâneos discursos de Luis Carlos Prestes (escritos em 1945). Concluo com uma breve reflexão a respeito da origem desses pressupostos no interior do movimento comunista internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1983-01-01

Como Citar

Piozzi, P. (1983). Vargas e Prestes: uma comparação entre o trabalhismo e o comunismo no Brasil. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 6, 25–36. https://doi.org/10.1590/S0101-31731983000100004

Edição

Seção

Artigos e Comentários