Semiótica peirceana e produção poética

Autores

  • Lauro Frederico Barbosa da Silveira Faculdade de Filosofia e Ciências - FFC - Campus de Marília

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31731983000100003

Palavras-chave:

Semiótica, semiologia, inteligência científica, tempo, signo, poética

Resumo

Entre as diversas semióticas e semiologias atualmente existentes, devem-se distinguir dois projetos gerais: o de origem saussureana e o de origem peirceana. O primeiro recolhe da ciência lingüística seu modo de proceder e as características gerais do signo. O segundo pertence à tradição crítica filosófica. Para a inteligência capaz de aprender com a experiência, a dimensão temporal e histórica é essencial. O signo peirceano implica as relações de um tempo irreversível. À produção presente do signo cabe a função poética, a qual é essencial à vida de toda inteligência. A hipótese cientifica, as revoluções sociais em seu momento originário e a produção artística produzem novos signos, recortam novos objetos e abrem feixes de possibilidades para a conduta futura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1983-01-01

Como Citar

Silveira, L. F. B. da. (1983). Semiótica peirceana e produção poética. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 6, 13–23. https://doi.org/10.1590/S0101-31731983000100003

Edição

Seção

Artigos e Comentários