Dialética da pratica e ação sem prática

Autores

  • Ubaldo Puppi Faculdade de Filosofia e Ciências - FFC - Campus de Marília

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31731982000100005

Palavras-chave:

Ação, prática, drama, mimese, sistema de ação, prática teórica, lógica, dialética, dialética da prática, salto dialético e processo dialético

Resumo

O conceito de prática recobriria o de sistema de ação, não fosse a existência de sistemas de ação sem prática. Resta que uma prática é um sistema de ação. Como conseqüência, suposta a reciprocação de sistema com teoria e uma atenta inspeção nos termos da proposição, há equivalência semântica entre "prática teórica " e "sistema de ação prático". Num e noutro caso, a contradição interna aos pares de conceitos se resolve dialeticamente. Graças à dialética, são fundidos numa unidade de sentido, síntese de tensões opostas. Daí a proposta de uma dialética da prática global, conjuntamente abstrata e histórica. Destotalizada ou à margem dessa dialética, pode ser destacada a ação sem prática, exemplificada no drama. Dramática é precisamente uma ação que não é prática. O tempo e o lugar da prática são a história e o mundo do homem; o tempo e o lugar do drama são a ficção cultural e a substância simbólica. Mimese da prática, o drama, reproduz, não os traços do modelo, mas a sua produção, tornando-se por sua vez modelo do modelo. Mimese não é cópia, é forma autônoma de eficiência, paradoxalmente sem prática mas especular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1982-01-01

Como Citar

Puppi, U. . (1982). Dialética da pratica e ação sem prática. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 5, 65–76. https://doi.org/10.1590/S0101-31731982000100005

Edição

Seção

Artigos e Comentários