O Fascismo Transindividual

Autores

  • Ádamo Bouças Escossia da Veiga Pontifica Universidade Católica - PUC/RJ

Palavras-chave:

Deleuze e Guattari, Desejo, Fascismo Transindividual, Filosofia Política Contemporânea

Resumo

O presente artigo versa sobre o problema político-filosófico do fascismo. O conceito tem mostrado crescente relevância no cenário público nacional e mundial, figurando cada vez mais no debate leigo e especializado. O termo fascismo, hoje, é amplamente empregado, tanto na qualificação de movimentos políticos de diversos espectros quanto na grande mídia e revistas científicas. O objetivo deste artigo é utilizar o conceito de transindividual na compreensão do fascismo, a partir da teorização, ela mesma transindividual, do fenômeno, realizada por Deleuze e Guattari, através da sua compreensão do desejo. O transindividual caracteriza um movimento filosófico de dupla rejeição em que se nega, simultaneamente, uma abordagem holista e individualista do campo social, procurando
pensar o indivíduo e coletivo como coextensivos a um processo genético que produz a ambos, sem primado de um sobre o outro. Tal conceito vem se revelando uma ferramenta analítica de crescente uso e repercussão, no debate acadêmico contemporâneo. Nesse sentido, a utilização do transindividual, enquanto matriz teórica, na compreensão do fenômeno fascista ainda não foi realizada de forma esquemática e, desse modo, recorrendo à compreensão transindividual do fascismo de Deleuze e Guattari, pretende-se contribuir para o alargamento desse horizonte teórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ádamo Bouças Escossia da Veiga, Pontifica Universidade Católica - PUC/RJ

Pós-Doutorando pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Rio de Janeiro, RJ – Brasil.

Referências

ADORNO, T. Ensaios sobre psicologia social e psicanálise. Trad. de Verlaine Freitas. São Paulo: Editora Unesp, 2007.

ADORNO, T. Estudos sobre a personalidade autoritária. Trad. de Virgina Helena Ferreira da Costa et al. São Paulo: Editora Unesp, 2019.

ARENDT, H. The origins of totalitarianism. Nova York e Cleveland: Meridian Books, 1962.

BALIBAR, E. Spinoza: from individuatilty to transindividuality. Utrecht: Uberon Defl, 1997.

BALIBAR, E. Spinoza et la politique. Millau: PUF, 2003.

BALIBAR, E. Philosophies of the Transindividual: Spinoza, Marx, Freud. Trad. De Mark Kelly. Australasian Philosophical Review, n. 1, v. 20, p. 5 - 25, 2018.

BROWN, W. In the ruins of Neoliberalism: the rise of antidemocratics politics in the West. Nova York: Columbia University Press, 2019.

CARDOSO, H. Ontopolítica e diagramas históricos do poder: maioria e minoria segundo Deleuze e a teoria das multidões segundo Peirce. Veritas, Porto Alegre, v. 57, p. 153 - 179, 2012.

CARDOSO, H. Deleuze on Kant’s Mathematics of the sensory body: the differential relation in the instance of learning. Philosophy of Mathematics Education Journal, v. 33, p. 1 - 44, 2018.

CARDOSO, H.; NALDINHO, T. A amizade para Foucault: resistências criativas em face ao bio-poder. Fractal: revista de psicologia, v. 21, p. 43 - 56, 2009.

CLASTRES, P. A sociedade contra o Estado: pesquisa de antropologia política. Trad. De Theo Santiago. Rio de Janeiro: F. Alves, 1978.

DELEUZE, G. Diferença e Repetição. Trad. De Luiz Orlandi e Roberto Machado. Lisboa: Relógio D’Água, 2000.

DELEUZE, G. Bergsonismo. Trad. De Luiz Orlandi. São Paulo: Ed. 34, 2012.

DELEUZE, G. Spinoza et le problème de l’expression. Lonrais: Minuit, 2014.

DELEUZE, G. Nietzsche e a filosofia. Trad. de Mariana de Toledo Barbosa e Ovídio de Abreu Filho. São Paulo: n. 1 ediçoes, 2018.

DELEUZE, G. Gilbert Simondon, o indivíduo e sua gênese físico-biológica. Trad. Luiz Orlandi. In: DELEUZE, G. A Ilha Deserta e outros textos . São Paulo: Iluminuras, 2019. p. 117 - 123.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O Anti-Édipo: Capitalismo e Esquizofrenia 1. Trad. Luiz Orlandi. São Paulo: Editora 34, 2010.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia 2., Vol. 3. Trad. de Aurélio Guerra Neto, Ana Lúcia de Oliveira, Lúcia Cláudia Leão e Suely Rolnik. São Paulo: Editora 34, 2012a.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia 2., Vol. 5. Trad. de Peter Pál Pelbart e Janice Caiafa. São Paulo: Editora 34, 2012b.

DE VRIE, L. Politics on the Line. In: EVANS, B.; REID, J. (ed.). Deleuze & Fascism: Security: war: aesthetics. Nova York: Routledge, 2013. p. 125 - 148.

DOWNS, A. An economic theory of democracy. New York: Addison Wesley, 1957.

ECO, U. O fascismo eterno. Trad. de Eliana Aguiar. Rio de Janeiro/ São Paulo: Record, 2018.

FERREIRA NETO, J. L. Micropolítica em Mil Platôs: uma leitura. Psicologia USP, v. 3, n. 3, p. 397 - 406, 2015.

FOUCAULT, M. Verdade e Poder. In: FOUCAULT, M. A Microfísica do Poder. Org. e trad. de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2011.

FREUD, S. Psicologia das massas e análise do ego. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 18. Rio de Janeiro: Imago, 1990. p. 89 - 179.

GRIFFIN, R. A Fascist Century: Essays by Roger Griffin. Nova York: Palgrave Macmillan, 2008.

GRIFFIN, R. Fascism. Oxford: Polity Press, 2018.

KANT, I. Crítica da Razão Pura. Trad. de Manuel Pintos dos Santos e Alexandre Mourão. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2000.

LAZZARATO, M. Les Révolutions du Capitalisme. Paris: Les Empêcheurs de Penser en Rond, 2004.

LAZZARATO, M. Le capital deteste tout le monde: fascisme ou révolution. Paris: Amsterdan, 2019.

LORDON, F. La société des affects: pour un structuralisme des passions. Paris: Le Seuil, 2013.

LORDON, F. Willing Slaves of Capital: Spinoza and Marx on Desire. Trad. Gabriel Ash. Londres: Verso, 2014.

MASSUMI, B. Parables of the Virtual: Movement, affect, sensation. Durham/Londres: Duke University Press, 2002.

MAY, T. Desire and ideology in fascism. In: EVANS, B.; REID, J. (ed.). Deleuze & Fascism: Security: war: aesthetics. Nova York: Routledge, 2013. p. 13 - 27.

MICHELSEN, N. Fascist lines of the tokkotai. In: EVANS, B.; REID, J. (ed.). Deleuze & Fascism: Security: war: aesthetics. Nova York: Routledge, 2013. p. 148 - 173

MORFINO, V. Transindividualidade a partir de Leibiniz e Spinoza. Trad. de Herivelto Pereira de Souza. Cadernos Espinozanos, São Paulo, v. 17, 2007.

MORFINO, V. Plural Temporality: Transindividuality and the aleatory between Spinoza and Althusser. Leiden/Boston: Brill, 2014.

PAXTON, R. The anatomy of fascism. Nova York: Borzoi Books, 2004.

RAWLS, J. Uma teoria da justiça. Trad. de Jussara Simões. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

READ, J. The Politics of Transindividual. Leiden/Boston: Brill, 2014.

READ, J.; GILBERT, J. Talking transindividuation and collectivy: an Dialogue Between Jeremy Gilbert and Jason Readi. In: Capacious: Journal for Emerging Affect Inquiry. n.1, v. 4, 2019. Disponível em: capaciousjournal.com. Acesso em: 21 ago. 2020.

REICH, W. A Psicologia de massa do fascismo. Trad. de Maria da Graça Macedo. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

SALMELA, M. ; VON SCHEVE, C. Emotional roots of right-wing political populism. Social Science Information, v. 56 n. 4, p. 567–595, 2017.

SIBERTIN-BLANC, G. Politique et État chez Deleuze et Guattari: essai sur le materialisme historico-machinique. Paris: PUF, 2013.

SIMONDON, G. L’individuation à la lumiére des notion de forme e information. Grenoble: Jerôme Millon, 2013.

SPINOZA, B. Tratado Político. In: ESPINOZA, B. Espinoza. Trad. Manuel de Castro. São Paulo: Nova Cultura, 2004. p. 437 - 517 (Coleção Os Pensadores).

SPINOZA, B. Ética. Trad. Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

SPINOZA, B. Tratado Teológico Político. Trad. J. Guinsburg e Newton Cunha. São Paulo: Perspectiva, 2014

TROTSKY, L. O fascismo: o que é e como combatê-lo. In: TROTSKY, L. MUSSOLINI, Benito. A doutrina do fascismo – O fascismo: o que é e como combatê-lo. Trad. de Alberto da Costa e Silva. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2019.

Received: 21/01/2021 - Approved: 06/5/2021

Publicado

17-02-2022 — Atualizado em 22-06-2022

Como Citar

Veiga, Ádamo B. E. da. (2022). O Fascismo Transindividual . TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 45(01), 13–38. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/11481

Edição

Seção

Artigos e Comentários