Comentário Fazer morrer, deixar morrer

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.27.p365

Palavras-chave:

Morte impune, Judith Butler, Giorgio Agamben

Resumo

Há muito a ganhar, do ponto de vista teórico e conceitual, na aproximação entre os conceitos de vida nua, em Giorgio Agamben, e vida precária, em Judith Butler. O artigo de Reginaldo Oliveira Silva cumpre muito bem essa função, legando-nos, no entanto, a tarefa de ainda refletir sobre os pontos divergentes que decerto também existem, seja pelo contexto histórico e político em que filósofo e filósofa conceberam suas ideias – Agamben, na Europa pós-queda do Muro de Berlim, Butler nos EUA, pós-11 de setembro –, seja pelo que ambos recusam, no pensamento do outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Rodrigues, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Docente na Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisadora FAPERJ

Downloads

Publicado

2020-09-10

Edição

Seção

Artigos/Articles