O fundamento epistemológico da metafísica da Vontade de Arthur Schopenhauer

Autores

  • Jarlee Oliveira Silva Salviano

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732009000200006

Palavras-chave:

Schopenhauer, conhecimento, intuição

Resumo

Analisamos neste artigo a teoria do conhecimento de Arthur Schopenhauer com base em sua dissertação Sobre a quádrupla raiz do princípio de razão suficiente (1813), seu ensaio Sobre a visão e as cores (1816), os dois primeiros livros de O mundo como vontade e representação (1819), bem como o apêndice a esta obra intitulado Crítica da filosofia kantiana. Aqui temos em mente a relação de Schopenhauer com as filosofias anteriores (em especial a de Kant) e a fundamentação de sua intuição do mundo como Vontade baseada em uma epistemologia de raízes kantianas.

Publicado

10-01-2009

Edição

Seção

Artigos e Comentários

Como Citar

O fundamento epistemológico da metafísica da Vontade de Arthur Schopenhauer. (2009). Trans/Form/Ação, 32(2), 101-118. https://doi.org/10.1590/S0101-31732009000200006