HUME ENTRE O CETICISMO E O NATURALISMO

Autores

  • Donizeti Aparecido Pugin SOUZA (UEM)

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-8900.2013.v5n09.4499

Palavras-chave:

Hume. Conhecimento. Causalidade. Ceticismo. Naturalismo.

Resumo

Na corrente empirista, David Hume apresenta o caráter cognoscitivo do homem como essencial à compreensão de sua natureza. Distinguindo as percepções em Impressões e Ideias, inicia um complexo sistema epistêmico que culminará nos princípios associativos da mente humana. Um desses princípios, a causalidade, é a responsável pela formação de crenças no homem, devido à influência estabelecida pelo hábito ou costume. Nessa perspectiva, nossas crenças relacionadas à relação de causalidade entre dois objetos não passam de associações mentais, não possíveis de certeza e verificação empírica. Duas correntes de interpretação
avaliam a filosofia humeana confirmando-a ora como cética ora como portadora de uma espécie de psicologismo ou naturalismo, sem, contudo, negar sua postura crítica em relação à Metafísica como forma de conhecimento. Analisando a origem das ideias e sua implicação na crítica e reconstrução da teoria da causalidade propostas por Hume abordamos o eixo de sua epistemologia que nos servirá de base para a compreensão de sua filosofia da natureza humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Donizeti Aparecido Pugin SOUZA (UEM)

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Downloads

Publicado

2014-12-18

Edição

Seção

Artigos