Modelos de democracia e a experiência latino-americana

Autores

  • Marcelo Fernandes de Oliveira Unesp-Marília

DOI:

https://doi.org/10.36311/2237-7743.2020.v9n3.p738-763

Palavras-chave:

Modelos de Democracia, Crítica à Teoria da Transição e Consolidação da Democracia, América Latina, Vulnerabilidade social, Neopopulismo

Resumo

O objetivo desse artigo é demonstrar a inviabilidade do uso dos modelos clássicos de democracia propostos pelas correntes teóricas da transitologia e da consolidologia para a análise da democracia contemporânea na América Latina. Em seguida, apontamos a construção e o design institucional das prováveis novas formas democráticas na região que vem sendo consolidadas no bojo da emergência de novos líderes carismáticos. Buscamos ainda demonstrar como essas novas experiências, frequentemente denominada na literatura como “neopopulistas”, estão contribuindo à construção de novas práticas democráticas que parecem ser mais adequadas ao exercício do poder nas condições sociais e econômicas de vulnerabilidade da maioria da população latino-americana, mas distancia-se consideravelmente do conceito clássico e das práticas da Democracia no mundo ocidental. Por fim, apresentamos uma série de indagações sobre o futuro do regime democrático na América Latina à luz das experiências em curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcelo Fernandes de Oliveira, Unesp-Marília

É Livre Docente em Teoria das Relações Internacionais e Professor da UNESP – Campus de Marília.

Referências

BEITZ, C. R. Political equality. An essay in democratic theory. Princeton: Princeton University Press, 1989.

BORÓN, A. A transição para a democracia na América Latina: problemas e perspectivas. In: BORÓN, A. Estado, capitalismo e democracia na América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

BUNCE, V. Quand le lieu compte: spécificités des passés autoritaires et réformes économiques dans les transitions à la démocratie. Revue Française de Science Politique, Paris, v. 50, n. 4-5, p. 633-656, ago.-out. 2000.

DAHL, R. Poliarquias. São Paulo: Edusp, 1997.

DUPAS, G (org.). América Latina: perspectivas econômicas, sociais e políticas para o século XXI. São Paulo: Unesp, 2005.

DURKHEIM, E. Les formes élémentaires de la vie religieuse. Le système totémique en Australie. Paris: PUF, 1985.

LATINBARÓMETRO. Encuesta 2003. Santiago do Chile, 2003.

LATINBARÓMETRO. Encuesta 2020. Santiago do Chile, 2021.

LINZ, J., STEPHAN, A. Problems of democratic transition and consolidadtion. Baltimore: John Hopkins University Press, 1996.

LODOLA, G. Neopopulismo e compensações aos perdedores da mudança econômica na América Latina. Neopopulismo na América Latina – Cadernos Adenauer n. 2. Rio de Janeiro: Fundação Konrad Adenauer, ago. 2004.

MONCLAIRE, S. Democracia, transição e consolidação: precisões sobre conceitos bestializados. Revista de Sociologia e Política, n.17, p. 61-74, nov. 2001.

O’DONNELL, G. Notas sobre la democracia en América Latina. La democracia en América Latina Hacia una democracia de ciudadanas y ciudadanos - El debate conceptual sobre la democracia. PNUD, 1 UN Plaza, Nova York, Nova York, 10017, Estados Unidos de América, 2004.

__________. Poliarquias e a (in) efetividade da lei na América Latina. Novos Estudos Cebrap

, Cebrap, p. 37-62, 1998.

__________. Uma outra institucionalização: América Latina e alhures. Lua Nova 37, p. 5-31,

__________. Delegative Democracy? Journal of Democracy, v. 5, n. 1, p. 55-69, 1994.

__________. On the State, democratization and some conceptual problems: a Latin American view with clances at some postcommunist countries. World Development, v. 21, n. 8, 1993.

__________. Transitions, continuities and paradoxes. In: O´DONNELL, G., MAINWARING, S., VALENZUELA, S. (Eds.). Issues in democratic consolidation. The New South American democracies in comparative perspective. Notre Dame: Notre Dame University Press, 1992. p. 17-56.

Panorama Social de América Latina. Santiago: Cepal, 2000. Disponível em: www.cepal.org.

PNUD (Programa de las Naciones Unidas para el Desarrollo). “La democracia en America Latina”. New York, Naciones Unidas, 2004.

PRZEWORSKI, A. Ama a incerteza e serás democrático. Novos Estudos Cebrap 9, São Paulo: Cebrap, p. 36-46, 1984.

PRZEWORSKI, A., ALVAREZ, M. E., CHEIBUB, J. A., LIMONGI, F. Democracy and development: political institutions and well-being in the world, 1950–1990. Nova York: Cambridge University Press, 2000.

ROBERTS, K. “Neoliberalism and the transformation of populism in Latin American: the Peruvian case. World Politics 48 (1), p. 82-116, 1995.

SANTOS, F. Escolhas institucionais e transição por transação: sistemas políticos de Brasil e Espanha em perspectiva comparada. Dados 43 (4), p. 637-670, Rio de Janeiro: IUPERJ, 2000.

SCHIMITTER, P. What kinds of democracy are emerging in Southern and Eastern Europe, South and Central America? (manuscrito), 1993.

SCHIMITTER, P., KARL, T. The conceptual travels of transitologists and consolidologists: how far to the East should they attempt to go? (manuscrito), 1993.

VITULLO, G. E. Transitologia, consolidologia e democracia na América Latina: uma revisão crítica. Revista de Sociologia e Política, n. 17, p. 53-60, nov. 2001.

Downloads

Publicado

2021-09-02

Como Citar

FERNANDES DE OLIVEIRA, M. Modelos de democracia e a experiência latino-americana. Brazilian Journal of International Relations, Marília, SP, v. 9, n. 3, p. 738–763, 2021. DOI: 10.36311/2237-7743.2020.v9n3.p738-763. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13359. Acesso em: 14 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)