Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir <p>É um periódico científico de publicação contínua de volumes anuais, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e do Instituto de Gestão Pública e Relações Internacionais (IGEPRI), cuja missão é divulgar a produção científica em Relações Internacionais e Políticas Públicas e áreas correlatas, objetivando contribuir com a discussão e o desenvolvimento do conhecimento na área.<br /><strong>BJIR</strong><br /><strong>e-ISSN:</strong> 2237-7743<br /><strong>ISSN L:</strong> 2237-7743<br /><strong>Ano de fundação:</strong> 2011<br /><strong>Periodicidade:</strong> trimestral<br /><strong>Editor responsável:</strong> Marcelo Fernandes de Oliveira<br /><strong>E-mail institucional:</strong> bjir.marilia@unesp.br<br /><strong>Indexadores:</strong><br /><strong><em>Base de dados:</em></strong> <a href="https://www-periodicos-capes-gov-br.ez87.periodicos.capes.gov.br/index.php/acervo/lista-a-z-periodicos.html">CAPES</a> | <a href="https://www.base-search.net/Search/Results?lookfor=2237-7743&amp;name=&amp;oaboost=1&amp;newsearch=1&amp;refid=dcbasen">Base</a> | <a href="http://www.bibliotekevirtual.org/index.php/2013-02-07-03-02-35/2013-02-07-03-03-11/1579-bjir.html">Biblioteke Virtual</a> | EBSCO Publishing | Ibict | <a href="https://www.ipsa.org/sites/default/files/2018-10/Periodicals%20list.pdf">International Political Science Abstracts (IPSA</a>) | <a href="https://scholar.google.com/citations?user=NjulUh8AAAAJ&amp;hl=pt-BR">Google Scholar</a> | <a href="https://www.scilit.net/journal/2444761">Scilit</a><br /><strong><em>Diretórios: </em></strong><a href="https://diadorim.ibict.br/handle/1/3304">Diadorim</a><br /><strong><em>Índices e Portais:</em></strong> <a href="https://www.latindex.org/latindex/ficha/19971">Latindex</a> | <a href="https://miguilim.ibict.br/handle/miguilim/5781">Miguilim</a> <br /><strong><em>Redes Sociais Acadêmicas:</em></strong> <a href="https://unesp.academia.edu/RevistaBJIR">Academia.edu</a></p> pt-BR bjir.marilia@unesp.br (Prof. Dr. Marcelo Fernandes de Oliveira) bjir.marilia@unesp.br (Camilla Silva Geraldello) Fri, 09 Feb 2024 16:15:56 -0300 OJS 3.3.0.11 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Apresentação https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/15597 <p class="BJIR4-CorpodotextoCxSpFirst"><span lang="EN-US">É com grande satisfação que publicamos o 2º número do 12º volume da Brazilian Journal of International Relations (BJIR). E queremos, sobretudo, agradecer a paciência dos autores e autoras que confiaram a BJIR à publicação das suas pesquisas, mesmo diante de um processo editorial lento. Nosso muito obrigado!</span></p> <p class="BJIR4-CorpodotextoCxSpLast"><span lang="EN-US">Nesses últimos dois anos passamos por uma série de transformações no sistema editorial e de gestão da BJIR com o intuito de acelerar e melhorar nosso processo produtivo. E avançamos bastante. Nosso próximo número, o 3º número do 12º volume, ainda será no modelo que consagrou nosso periódico. Sua publicação deverá ocorrer no final de março, início de abril de 2024.</span></p> Camilla Silva Geraldello, Marcelo Fernandes de Oliveira Copyright (c) 2023 Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/15597 Fri, 01 Sep 2023 00:00:00 -0300 A América Latina e os impasses do desenvolvimento https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/15598 <p>O objetivo do presente texto é discutir as implicações geoeconômicas e, sobretudo econômicas da crise do capitalismo global para a América Latina. O esgotamento do ciclo de <em>commodities,</em> que é parte desse processo de crise estrutural do capitalismo global, explicitou os limites do extrativismo e do neoextrativismo, que configurou-se, nas últimas décadas, como uma estratégia de desenvolvimento da região, adotada tanto por governos conservadores como por governos reformistas. Este contexto coloca a necessidade de novas estratégias de desenvolvimento para os países latino-americanos, que deem conta da inclusão social e da crise ambiental, ainda mais que a região, nos últimos anos, tem apresentado acentuada instabilidade política e um baixo crescimento econômico.</p> Francisco Luiz Corsi Copyright (c) 2023 Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/15598 Fri, 01 Sep 2023 00:00:00 -0300 A política externa bolsonarista https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13281 <p><span style="font-weight: 400;">A eleição de Jair Bolsonaro no ano de 2018 sinalizou um momento de fragmentação do tecido social brasileiro, na qual as ideias de extrema direita defendidas pelo ainda candidato passaram a pautar o debate público brasileiro. Quando eleito, Bolsonaro tratou de pautar a condução da política do país sob a visão conservadora e, na política externa, a agenda dominante em um primeiro momento foi o anti-globalismo. Isso foi possível graças ao movimento internacional de ascensão da extrema direita, no qual possibilitou uma aproximação do presidente brasileiro de seus pares. Com isso, a diplomacia implementada por Ernesto Araújo buscou defender os valores ocidentais no cenário internacional e com isso alcançar ganhos para o Brasil principalmente a partir das parcerias ideológicas. Essa percepção será visível nas escolhas do executivo nacional em temas de política externa, como será demonstrado ao longo do texto. Dessa forma, o presente artigo busca argumentar acerca da tentativa buscada pelo presidente e pelo Itamaraty da busca pela autonomia através dessa cooperação ocidental ideológica. No entanto, conforme será argumentado, essa tentativa não logrou sucesso por dois fatores: as derrotas internas que afetaram o governo, principalmente com a pandemia do COVID-19 e a vitória de Joe Biden nas eleições americanas, simbolizando uma derrota do projeto político da extrema-direita. </span></p> Mauricio Doro Copyright (c) 2023 Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13281 Fri, 01 Sep 2023 00:00:00 -0300 Sanções econômicas e as criptomoedas no conflito russo-ucraniano https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13377 <p>O embate russo-ucraniano está na ordem do dia. E um dos aspectos mais emblemáticos é o uso de criptomoedas em tal contexto, notadamente em face das sanções econômicas internacionais e de sua efetividade. Assim, o presente estudo, calcado em pesquisa bibliográfica e documental, tem por objetivo apresentar os conceitos e informações necessários para entender o que são criptomoedas, sanções econômicas e interrelacioná-los diante do quadro fático desenhado atualmente. Em razão da extensão e do grau de rigor das sanções econômicas até aqui impostas à economia russa, já é possível notar que estão a lhe causar danos. Porém não se sabe ainda ao certo o seu real impacto, haja vista existirem outros fatores que incidem no atual contexto. Parte da doutrina pesquisada posiciona-se no sentido de que as sanções econômicas não são tão efetivas, e a utilização de criptomoedas pode acarretar num decréscimo da já combalida efetividade. Na literatura consultada são descritas estratégias em que as criptomoedas são utilizadas para contornar sanções econômicas. Tendo-as como parâmetro, é possível identificar indícios de aplicação de, ao menos, três delas pela Rússia ou por russos: com destaque para a mineração de criptomoedas e para incentivos à ampliação de seu uso por investidores e pela população.</p> Igor de Holanda Copyright (c) 2023 Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13377 Fri, 01 Sep 2023 00:00:00 -0300 Collapsing system: economy-oriented neoliberalism and environmental crisis https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13384 <p>In this article, we demonstrate how the contemporary international system has collapsed due to its institutions inability to respond to both economic and environmental crises. We argue that guided by economic and individualistic principles, matured during the 1980s according to economy-oriented neoliberalism paradigm, institutions were unable to implement policies and actions that would meet real social demands and environmental limits. Institutional mentality of the organizations at domestic and international level is based on the neoliberal paradigm, and proved to be obsolete and counterproductive in combating the current crises. One of the main characteristics of this inability to respond institutionally is environmental degradation, whose growth is mainly due to the primacy of economic growth over the social and environmental dimensions.</p> Bruno Pimenta Starling Copyright (c) 2023 Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13384 Fri, 01 Sep 2023 00:00:00 -0300 Dos imperativos político-morais da desnaturalização dos “Fluxos Migratórios” e da corporificação de quem migra andando https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13055 <p>A naturalização do Estado e de suas fronteiras e, por consequência, das migrações, tratadas como fluxos fluidos, resultam em uma noção de inevitabilidade desse imaginário político objetivamente fronteirizado e na descorporificação de quem migra. Essas duas naturalizações se unem no processo em que a criação de infraestruturas aplicadas às fronteiras resulta, por sua vez, em um regime de mobilidade profundamente desigual. É possível dizer que os fluxos migratórios, ao serem compreendidos como tal, ocultam certos corpos e as formas como toda uma geoinfraestrutura os afeta não uniformemente. O presente artigo se propõe a adotar uma visão corporificada da migração, centrada nas travessias andadas migrantes, a fim de compreender como a chamada “crise migratória”, tida como ameaça à soberania estatal, advém justamente da erotização desse imaginário político e das tecnologias (re)estruturadas no sentido de mantê-lo. Observando as caravanas andadas da América Central, em <em>via crucis</em> para os Estados Unidos, buscaremos conferir visibilidade a aspectos ocultados dessa migração, propondo visualidades mais pluralizadas da atividade de migrar.</p> Cláudia Marconi, Maria Tereza Ferreira Cavalheiro, Maria Thereza Dumas Neto Copyright (c) 2023 Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13055 Fri, 01 Sep 2023 00:00:00 -0300 A Marca-país como Estratégia para a Construção de uma Identidade Competitiva Internacional https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13559 <p>Analisa-se a marca-país como estratégia de inserção internacional pela qual o Estado gerencia sua imagem frente a um sistema globalizado e competitivo. Trata-se de pesquisa exploratória de natureza qualitativa que recupera o quadro analítico de Anholt para avaliar a marca Qatar. Conclui-se que a promoção da marca-país contribui para destacar atributos e recursos positivos nacionais além de oferecer uma alternativa a narrativas rasas e histórias únicas disseminadas em desfavor de alguns Estados.</p> Cristine Koehler Zanella, Heitor Vieira Penna Copyright (c) 2023 Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13559 Fri, 01 Sep 2023 00:00:00 -0300 Um novo momento Sputnik? O papel do 5G na disputa comercial entre China e EUA (2017-2020) e sua influência nas estruturas de poder segundo a teorização de Susan Strange https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13656 <p>A ascensão da guerra comercial entre China e EUA a partir da posse do presidente estadunidense Donald Trump (2017-2020) fez emergir, não apenas o debate acerca das relações diplomáticas e comerciais entre ambos os países, mas também em relação ao desenvolvimento da tecnologia 5G. Com a proibição de circulação de produtos da Huawei (principal fabricante da tecnologia citada no país concorrente dos EUA) entre representantes do governo americano em 2018, e a proibição da compra de equipamentos por parte das empresas estadunidenses em 2019, emerge a questão do por que o ataque a fabricante chinesa no país. O trabalho tem como objetivo analisar a questão a partir dos escritos da inglesa Susan Strange, em especial do modelo de análise de poder proposto em sua obra ‘<em>State and Markets</em>’. Pretende-se expressar, a partir do referencial teórico apresentado, que a tecnologia 5G é uma peça chave para a manutenção e expansão das estruturas de poder contemporânea, sendo este o motivo de perseguição e debate no conflito contemporâneo.</p> Paloma de Oliveira dos Santos Copyright (c) 2023 Brazilian Journal of International Relations https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/13656 Fri, 01 Sep 2023 00:00:00 -0300