PARA UMA CRÍTICA LUKACSIANA À IDEIA DE ARTE ENQUANTO PANFLETO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-8900.2021.v13n34.p125-141

Palavras-chave:

Estética, Lukács, Marxismo, Realismo, Realismo socialista, Arte pela arte

Resumo

O atual crescimento das preocupações artísticas vinculadas a perspectivas em tese marxistas e populares, por seu momento ainda embrionário, tem caído diversas vezes em erros já observados no passado, ao propor a arte como mero veículo de uma palavra de ordem imbuída de um verniz estético. Uma crítica adequada a tal fenômeno, que pode ser mobilizada a partir de contribuições como as de Gyorgy Lukács, Ernst Fischer e Leandro Konder, necessita investigar os problemas de figuração existentes em tal percurso tendo o devido cuidado para não incorrer no oposto também contestável, em que a arte passa a residir em uma torre de marfim, pretensamente apartada das influências e questões sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ENGELS, F. Carta de F. Engels a Margaret Harkness, início de abril de 1888. In: Cultura, arte e literatura. Tradução de José Paulo Netto e Miguel Makoto Cavalcanti Yoshida. São Paulo: Expressão Popular, 2012a.

______. Carta de F. Engels a Minna Kautsky, 26 de novembro de 1885. In: Cultura, arte e literatura. Tradução de José Paulo Netto e Miguel Makoto Cavalcanti Yoshida. São Paulo: Expressão Popular, 2012b.

FISCHER, E. A necessidade da arte. Tradução de Leandro Konder. Rio de Janeiro: Zahar Editora, 1973.

FREDERICO, C. A arte no mundo dos homens: o itinerário de Lukács. São Paulo: Expressão Popular: 2013.

IVO, L. Primeira lição. In: PEIXOTO, S. A. Melhores poemas Lêdo Ivo. São Paulo: Global, 2001.

KONDER, L. Os marxistas e a arte. São Paulo: Expressão popular, 2013.

LUKÁCS, G. A luta entre o progresso e a reação na cultura contemporânea. In: Socialismo e democratização: escritos políticos (1956-1971). Tradução de José Paulo Netto e Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2008.

______. Arte livre ou arte dirigida? In: Marxismo e teoria da literatura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Expressão Popular, 2010a.

______. Estetica 1: la peculiaridad de lo estetico — 2. problemas de mímesis. Tradução de Manuel Sacristán. Barcelona: Grijalbo, 1966.

______. Introdução a uma estética marxista. Tradução de Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

______. Introdução aos escritos estéticos de Marx e Engels. In: Cultura, arte e literatura. Tradução de José Paulo Netto e Miguel Makoto Cavalcanti Yoshida. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

______. Narrar ou descrever. In: Marxismo e teoria da literatura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Expressão Popular, 2010b.

______. O escritor e o crítico. In: Marxismo e teoria da literatura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Expressão Popular, 2010c.

______. O problema da perspectiva. In: Marxismo e teoria da literatura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Expressão Popular, 2010d.

______. “Tendency” or Partisanship? In: Essays on realism. Tradução de David Fernbach. Massachusetts: The MIT Press, 1981.

MAIAKÓVSKI, V. Poemas. Tradução de Boris Schnaiderman, Haroldo de Campos, Augusto de Campos. São Paulo: Perspectiva, 2008.

PISCATOR, E. Teatro político. Tradução de Aldo Della Nina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

RAMOS, G. Vidas secas. Rio de Janeiro: Record, 1977.

TCKESKISS, L. O materialismo histórico em 14 lições. Rio de Janeiro: Calvino Filho Editora, 1934.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Edição

Seção

Artigos