A EDUCAÇÃO COMO PRINCÍPIO DE RESPONSABILIDADE ÉTICOPOLÍTICA EM ADORNO

Autores

Palavras-chave:

Educação, Emancipação, Dialética negativa, Resistência

Resumo

O presente artigo avalia os potenciais e limites do pensamento educacional de Theodor Adorno, defendendo a ideia de que seus escritos pedagógicos não estão ligados a uma postura de desenvolvimento de um comportamento revolucionário por meio da instituição escola. A educação contém mais uma tarefa de resistência frente aos riscos de regressão à barbárie, do que necessariamente uma produção efetiva de sujeitos revolucionários. No entanto, isso não significa uma incorporação acrítica dos valores societais liberais-burgueses, e sim um giro ético em direção à uma subjetividade que esteja ligada ao próprio movimento histórico dos povos e das relações entre cultura e poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento. Trad. Guido Antonio de Almeida Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

______. Dialética Negativa. Trad. Marco Antonio Casanova. Rio de Janeira: Zahar, 2009.

______. A filosofia e os professores. In: ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Trad. Wolgang leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 1995. Cap. 2. p. 51-74.

______. Educação após Auschwitz. In: ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Wolgang leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 1995. p. 119-138.

______. A educação contra a barbárie. In: ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Wolgang leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 1995. p. 155-168.

______. Educação e Emancipação. In: ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Wolgang leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 1995. p. 169-185.

______. Educação - pra quê? In: ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Wolgang leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 1995. p. 139-154.

______. Minima Moralia. Trad. Gabriel Cohn. Rio de Janeiro: Azougue, 2008.

BIANCHETTI, L.; ZUIN, A. A. S. O intelectual universitário e seu trabalho em tempos de "pesquisa administrada". Educação em revista. Belo Horizonte, v. 28, n. 3, p. 55- 75.2012.

FLECK, A. O anticapitalismo de Adorno. Entre o marxismo e as novas leituras de Marx. Dissonância: Revista De Teoria Crítica, 3, 1-25. 2020

GIROUX, H. Teoría y resistencia en educación. Trad. Ada Teresita Méndez. Buenos Aires: Siglo Veintiuno, 2004.

MUSSE, R. O anticapitalismo de Adorno. Dois Pontos, São Carlos, v. 4, n. 1, p. 201- 215. 2007.

PAGNI, P. A. Os elos entre a filosofia e a educação no pensamento de Theodor W. Adorno. Pro-Posições, Campinas, v. 23, n. 3, p.133-157.

SAFATLE, V. Materialismos e dialéticas sem Aufhebung: adorno, leitor de marx; marx, leitor de Hegel.Veritas, Porto Alegre, v. 62, n. 1, p. 226-256.2017.

SCHWEPPENHÄUSER, G. A filosofia moral negativa de Theodor W. Adorno. Educação e Sociedade, Campinas, v. 24, n. 83, p. 391-415. 2003.

______. Ethik nach Auschwitz. Wiesbaden: Springer, 2016.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Edição

Seção

Artigos