O PAPEL DO DEVER DE CASA EM FAMILIAS DE CLASSES POPULARES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/2236-5192.2018.v19n2.05.p65

Palavras-chave:

família-escola, dever de casa, classes populares

Resumo

O objetivo deste estudo é discutir e analisar a relação família-escola num contexto de classes populares, por meio da reflexão sobre o papel do dever de casa.  A pesquisa realizou-se numa escola pública de um bairro periférico da cidade de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul. O estudo seguiu a metodologia do tipo estudo de caso, o material empírico da pesquisa originou-se de dados do questionário, documentos escolares e observações realizadas no contexto escolar, analisados a partir de perspectiva sociológica bourdieusiana. As condições objetivas e dinâmicas familiares (disponibilização do tempo e formas de capitais) refletiram na concepção do dever de casa para a família e para o aluno, como uma tomada de consciência do valor do capital cultural e de estratégias na constituição do habitus estudantil em alunos dos anos iniciais do ensino fundamental.

Recebido em: 12/01/2017.
Aprovado em:07/09/2018.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

ADRIANA ESPINDOLA BRITEZ, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutoranda em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2014). E-mail: adri.pgjv@gmail.com

JACIRA HELENA DO VALLE PEREIRA ASSIS, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (2002). Atua como docente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 

 

Referências

ALMEIDA. A. Ultrapassando o pai – Herança cultural restrita e competência escolar. In: NOGUEIRA, M. A.; ROMANELLI, G.; ZAGO, N. (Org.). Família e escola: trajetórias de escolarização em camadas médias e populares. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 81-97.
BRASIL. Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Assuntos estratégicos: social e renda. Brasília: Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, 2014. Disponível em: <http://www.sae.gov.br>. Acesso em: 25 dez. 2016.
BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. 11. ed. Campinas/SP: Papirus, 2011.
BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.
BOURDIEU, P. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, M. A; CATANI, A. (Org.). Escritos da educação. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. p. 71-79.
BOURDIEU, P. A distinção: por uma crítica social do julgamento. Tradução Daniela Kern e Guilherme J. F. Teixeira. São Paulo, SP: Edusp; Porto Alegre, SC: Zouk, 2007.
CARVALHO, M. E. P. Escola como extensão da família ou família como extensão da escola? O dever de casa e as relações família-escola. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v.09, n. 25, p. 94-104, jan./abr. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf /rbedu/n25/n25 a08.pdf>. Acesso em: 02 ago. 2018.
LAHIRE, B. Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática, 1997.
NOGUEIRA, M. A. Um tema revisitado. As classes médias e a educação escolar. In: DAYRELL, J. et al. (Org.). Família, escola e juventude: olhares cruzados Brasil-Portugal. Belo Horizonte. Editora UFMG, 2012. p. 110-131.
PORTES, E. A. O Trabalho escolar das famílias populares. In: NOGUEIRA, M. A.; ROMANELLI, G.; ZAGO, N. (Org.) Família e escola: trajetórias de escolarização em camadas médias e populares. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 61-80.
RESENDE. T. F. Entre escolas e famílias: revelações dos deveres de casa. Paidéia, Ribeirão Preto, v. 18, n. 40, p. 385-398, jan. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/paideia /v18n40/14.pdf>. Acesso em: 02 ago. 2018.
RESENDE. T. F. Dever de casa, espelho de desigualdades educacionais e sociais. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 28, n. 03, p. 159-184, set. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/edur/v28n3/a08v28n03.pdf>. Acesso em: 02 ago. 2018.
SILVA, M. O habitus professoral: o objeto dos estudos sobre o ato de ensinar na sala de aula. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 10, n.29, p.152-163, mai./ago. 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n29/n29a12.pdf>. Acesso em: 02 ago. 2018.
VIANA, M. J. B. Disposições temporais de futuro e longevidade escolar em famílias populares. Perspectiva, Florianópolis, v. 27, n. 1, p. 195-215, jan./jun. 2009. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/viewFile/2175-795X.2009v27n1p195/12298>. Acesso em: 02 ago. 2018.
VIANA, M. J. B. Práticas socializadoras em famílias populares e a longevidade escolar dos filhos. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 28, n. 01, p. 421-440, mar. 2012. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n25/n25a08.pdf>. Acesso em: 02 ago. 2018.
ZAGO, N. Processos de escolarização em famílias de camadas populares – As contradições da obrigatoriedade escolar. In: NOGUEIRA, M. A.; ROMANELLI, G.; ZAGO, N. (Org.). Família e escola: trajetórias de escolarização em camadas médias e populares. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 17-43.

Downloads

Publicado

2018-11-19

Edição

Seção

Artigos