O modelo de Guerra de 4ª Geração e Guerra Híbrida na Ucrânia do começo do século XXI

Autores

  • Thiago Henrique Costa Simões Antunes Universidade de São Paulo (USP)
  • Everton Santos Lima Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

DOI:

https://doi.org/10.36311/2237-7743.2022.v11n3.p451-467

Palavras-chave:

Combate assimétrico; Guerra não linear; Ucrânia.

Resumo

Ao esquadrinhar a trajetória da “evolução” das formas hegemônicas de se fazer guerra, constata-se que, na contemporaneidade, há um deslocamento aberrante em relação ao progresso proporcional no que se refere ao modelo anterior. O repertório tecnológico bélico disponível somado às agendas política e econômica realizam níveis de alcance e proporções desastrosas nunca antes observados. Neste caminhar, o presente artigo tem por objetivo esclarecer de maneira expressa a associação entre os termos “guerra de 4ª geração” e “guerra híbrida”, com vistas a cotejar a disposição dos movimentos que animaram as turbulências do ambiente político-social ucraniano nos ocorridos da Revolução Laranja, do Euromaidan e da anexação da Crimeia pela Rússia, compreendidos a partir desses dois modelos. Os procedimentos de pesquisa adotados consistem em revisão bibliográfica de obras concernentes à temática, artigos publicados, periódicos científicos e produções acadêmicas registradas. No desenlace da investigação, foi possível identificar o papel central desempenhado por governos de outros países e organismos internacionais conduzido, sobretudo, a partir de veículos de mídia social no impulsionar do processo revolucionário, que, todavia, apesar de impor modificações significativas no território, permaneceu resignado às raias de dominação delineadas pelos atores hegemônicos atacantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Thiago Henrique Costa Simões Antunes, Universidade de São Paulo (USP)

Mestrando do Programa de Pós Graduação em Geografia Humana da USP. Graduado em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Monitor da disciplina: Cultura: O Global e o Local II (2016-2018). Estágio Interno Complementar (2018-2019) no Canal Laborav: televisão, Comunicação e Periferia. Atualmente é professor do pré-vestibular social da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense (FEBF/UERJ). Tem experiência na área de Geografia Humana, com ênfase em Teoria da Geografia e História do Pensamento Geográfico, atuando principalmente nos seguintes temas: Geografia Clássica, Friedrich Ratzel e Geohistória da natureza.

Everton Santos Lima, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Graduando em Geografia UERJ-FEBF. Bolsista de Monitoria em Prática de ensino VI em Geografia (2020 -),. Bolsista PIBIC em audiovisual (2019 – 2020). Coordenador pré – vestibular UERJ-FEBF (2019 – 2020). Extensões universitárias: U.S Government (HarvardX), A teoria da dependência na América Latina (Classe Esquerda); A história dos comunistas brasileiros (EFLCP); Human Rights: The rights of refugees (Amnesty International). Apresentações de trabalho: LIMA, E. S.; ESCOBAR, D.; SILVA, V. A.; SOUZ, E.. Pré-Vestibular UERJ-FEBF, mapeamento e discussão de suas implicações sociais. 2019. (Apresentação de Trabalho/Congresso), LIMA, E. S.. A compreensão e aumento da complexidade dos modelos de guera de 4a geração e guerra híbrida a partir das revoluções coloridas e primavera árabe.. 2019. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Downloads

Publicado

2022-12-23

Como Citar

COSTA SIMÕES ANTUNES, T. H.; SANTOS LIMA, E. O modelo de Guerra de 4ª Geração e Guerra Híbrida na Ucrânia do começo do século XXI. Brazilian Journal of International Relations, Marília, SP, v. 11, n. 3, p. 451–467, 2022. DOI: 10.36311/2237-7743.2022.v11n3.p451-467. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjir/article/view/12573. Acesso em: 14 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos