A pesquisa enquanto princípio educativo representada pelo PIBIC-JR no Instituto Federal do Paraná: primeiras impressões

Palavras-chave: Iniciação Científica, Ensino Médio, Egressos

Resumo

Este artigo trata da análise da trajetória acadêmica de ex-bolsistas do Programa Institucional de Iniciação Científica – Ensino Médio – PIBIC-EM, no âmbito dos Cursos Técnicos de Ensino Médio, do Instituto Federal do Paraná, Campus Curitiba, no período de 2011 a 2017. Tem como objetivo investigar se a participação no PIBIC-EM auxiliou na continuidade dos estudos acadêmicos ou se trouxe benefícios em relação ao mundo do trabalho e, ainda, retomar, de forma breve, os conceitos do trabalho enquanto princípio educativo e, também, a importância da pesquisa como princípio educativo. No que se refere aos aspectos metodológicos trata-se de um estudo de caso, onde foi aplicado um questionário online a egressos do programa. Os resultados apontam a importância do PIBIC para a formação inicial e que os egressos ex-bolsistas veem a participação no PIBIC como responsável na iniciação à pesquisa contribuindo na construção de conhecimentos práticos para a verticalização do ensino e acesso ao mundo do trabalho.

Recebido em: 04/02/2020.
Aprovado em: 11/03/2020.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Terezinha Urbanetz, IFPR

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2006). Docente do Instituto Federal do Paraná. Atua no ensino básico, técnico e tecnológico, na especialização em Educação Profissional e no programa de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica do Instituto Federal do Paraná.

Referências

BRASIL. Lei n. 11.741, de 16 de julho de 2008. Altera dispositivos da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para redimensionar, institucionalizar e integrar as ações da educação profissional técnica de nível médio, da educação de jovens e adultos e da educação profissional e tecnológica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1, p. 5, 17 de jul. 2008. 2008a.

BRASIL. Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1, p. 1, 30 de dez. 2008. 2008b.

BRASIL. Decreto nº. 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1, p. 18, 26 de jul. 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Um novo modelo em educação profissional e tecnológica: concepções e diretrizes. 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2018.

CIAVATTA, M. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. Trabalho necessário, Niterói, ano 3. v. 3, n. 3, p. 1-20, 2005.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 6. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

DEMO, P. Pesquisa: princípio científico e educativo. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

ENGELS, F. Princípios Básicos do Comunismo. Lisboa: Editorial Avante. 2006. Disponível em: Acesso em: 27 jul. 2018.

FRIGOTTO, G. A dupla face do trabalho: criação e destruição da vida. In:________; CIAVATTA, M. A experiência do trabalho e a educação básica. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 11-27.

GIL, A. C. Métodos e técnicas da pesquisa social. 6. ed. 5. reimpr. São Paulo: Atlas, 2012.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Volume 2. Edição e tradução: Carlos Nelson Coutinho; coedição: Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

IFPR. Instituto Federal do Paraná. Institucional. PROEPPI. Pesquisa. Iniciação Científica. [200?]a. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2018.

IFPR. Institucional. Pró-Reitorias. PROEPPI. Pesquisa. Iniciação Científica. PIBIC-JR. [200?]b. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2018.

IFPR. Plano de Desenvolvimento Institucional 2014-2018. 2017. Disponível em: . Acesso em: 28 out. 2018.

IFPR. Portal de Sistemas Institucionais. Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos. 2018. Disponível em: . Acesso em: 08 nov. 2018.

IFRN. Instituto Federal do Rio Grande do Norte. Institutos Federais – Lei 11.892, de 29/12/2008: comentários e reflexões. Caetana Juracy Rezende Silva (Org.). Natal: IFRN, 2009.

KUENZER, A. Z. Ensino de 2º grau: o trabalho como princípio educativo. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1992.

KUENZER, A. Z. Ensino médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

KRUPSKAYA, N. K. A construção da pedagogia socialista. FREITAS, L. C. de; CALDART, R. (Orgs.). São Paulo: Expressão Popular, 2017.

MACHADO, L. R. de S. Politecnia, escola unitária e trabalho. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1989.

MARKERT, W. Trabalho, qualificação e politecnia. Campinas, São Paulo: Papirus, 1996.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. Tradução de Luis Claudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MOURA, D. H. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Revista Holos, Natal, ano 23, vol. 2, p. 4-30, 2007.

PISTRAK, M. M. Fundamentos da escola do trabalho. Tradução: REIS FILHO, D. A. 3 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

SAVIANI, D. O choque teórico da politecnia. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 131-152, 2003.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Campinas, v. 12 n. 34. p. 152-180, 2007.

SAVIANI, D. O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias. In: FERRETTI, C. J. Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. 16. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

SHULGIN, V. N. Rumo ao politecnismo. Tradução: LAZAREV, A.; FREITAS, L. C. de. São Paulo: Expressão Popular, 2013.
Publicado
2020-04-27
Seção
Artigos