POSSIBILIDADES DA PSICOMOTRICIDADE EM AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA ALUNOS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

Autores

Palavras-chave:

Atividade Motora Adaptada, Psicomotricidade, Educação Física Escolar, Inclusão, Transtorno do Espectro Autista

Resumo

Crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) apresentam dificuldades em se comunicar e estabelecer interação social com as pessoas, comportamentos estereotipados e repetitivos. A Psicomotricidade, nas aulas de Educação Física, pode ajudar nesse processo de escolarização, pois, proporciona benefícios para o desenvolvimento motor, cognitivo, afetivo e social. Objetivou-se identificar as possibilidades da Psicomotricidade em aulas de Educação Física para alunos com Transtorno do Espectro Autista. Esta pesquisa teve como método a revisão da literatura. Os materiais selecionados foram identificados nas bases de dados SciELO e Google Acadêmico. Foram utilizados livros, artigos, dissertação, Trabalhos de Conclusão de Curso e trabalhos publicados em anais de congresso. Foi pesquisada a literatura nacional e para busca foram utilizadas as seguintes palavras-chave em combinação: Psicomotricidade, Transtorno do Espectro Autista, autismo, inclusão e Educação Física Escolar. Identificou-se que, como a Psicomotricidade tem como objetivo desenvolver por completo o ser humano em seus aspectos motores, cognitivos e afetivos, e atividades psicomotoras nas aulas de Educação Física pode ajudar a criança com TEA no desenvolvimento do raciocínio, da imaginação, da criatividade, da afetividade e da socialização. Com relação ao professor de Educação Física, a literatura da área recomenda que, diante da inclusão escolar de alunos com TEA, é necessário trabalhar as potencialidades individuais que cada criança possui, respeitando o tempo e os limites de cada criança diagnosticada com TEA.

 

Recebido em: 20/06/2020 

Reformulado em: 06/07/2020 

Aceito em: 06/07/2020

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-06-20 — Atualizado em 2021-06-20

Versões