Elementos Contextuais Atuais a Considerar para a Compreensão do Desenvolvimento Moral

Autores

  • Maria Suzana De Stefano Menin Universidade Estadual Paulista - Presidente Prudente-SP

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2013.v5n0.p136-159

Palavras-chave:

Desenvolvimento Moral, Representações Sociais; Influências do Contexto; Sujeito Social.

Resumo

Pretendemos neste texto trazer para discussão elementos contextuais relacionados às pertenças específicas de sujeitos na construção do julgamento moral e de outras formas de conhecimento produzidas, seja numa forma lógica operatória, seja relativa a repre-sentações sociais. Utilizaremos dois referenciais teóricos: a Epistemologia Genética, de Jean Piaget e a Teoria das Representações Sociais, de Moscovici. Considerando esses referenciais e utilizando-nos de ilustrações obtidas em estudos e pesquisas, faremos reflexões sobre como interpretar a construção do pensamento moral levando em conta elementos do contexto social. Discutiremos três fatores contextuais: as influências no meio social para o desenvolvimento de estágios morais ou de tipologias de pensamen-to; a marcação social dos objetos sobre os quais se pensa e que interfere no tipo de pen-samento solicitado; e as características da cultura pós-moderna e globalizada como espaço para o desenvolvimento moral. Nesta última parte, discutiremos como outros elementos da cultura pós-moderna podem estar ocupando o lugar da dupla de variá-veis - coação adulta e solidariedade entre crianças – colocadas por Jean Piaget como centrais para a construção da moralidade. Como conclusão, apontamos que a constru-ção moral na criança não pode mais ser compreendida apenas dentro do par de variá-veis – coerção adulta e cooperação entre crianças – já que, na atualidade, outros ele-mentos tornam essas variáveis menos definidas e mais complexas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAUMAN, Z. O mal estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.
CHAKUR, C. R. S. L. O sócio moral e o lógico-matemático na mente infantil.
Cognição, valores e representações ideológicas. São Paulo: Arte & Ciência, 2002.
DOISE, W. Logiques Sociales dans le raisonnements. Paris: Delachaux et
Niestlé S.A. 1993.
DOISE, W. Direitos Humanos e força das ideias. Lisboa: Livros Horizonte LTDA, 2002.
FREUD, S. (1930) O mal estar na civilização. In: Obras Psicológicas completas
de Sigmund Freud : edição standart brasileira/Sigmund Freud: com comentários e notas de James Strachey e Alan Tyson. Tradução do alemão e do inglês
sob a direção geral de Jayme Salomão. Rio de Janeiro : Imago, 1996. Volume
XXI. p.73 a 150.
GOERGEN, P. Educação moral hoje: cenários, perspectivas e perplexidades.
Educação e Sociedade, Campinas, v.28, n.100, p. 737 – 762, out. 2007. (Número
especial).
JARES, X. R. Educar para a verdade e para a esperança. Em tempos de globalização, guerra preventiva e terrorismos. Porto Alegre: Artmed, 2005.
KOHLBERG, L. Psicologia del desarrollo moral. Bilbau: Biblioteca de Psicologia, Desclée de Brouwer, 1992.
LA TAILLE, Y. Formação Ética. Do tédio ao respeito de si. Porto Alegre: Artmed, 2009.
LA TAILLE, Y.; MENIN, M. S. S. (org.). Crise de valores ou valores em crise?
Porto Alegre: Artmed, 2009.
LERNER, M. J.; LERNER, S.C. C. (eds). The justice motive in social behaviour.
New York, Plenum press, 1981
LERNER, M. J.; SIMMONS, C. H. Observer’s reaction to the « innocent victim ».
Journal of Personality and Social Psychology. v. 4; n. e, p.203-210, ago. 1966.
LIPOVETSKY, G. O Crepúsculo do Dever: a ética indolor dos novos tempos
democráticos. 4. ed. Lisboa, Portugal: Dom Quixote, 2010.
MENIN, M. S. S. Representações sociais de lei, crime e injustiça em adolescentes. Campinas: Mercado de Letras, FAPESP, 2005.
MOMO, M.; COSTA, M. V. Crianças escolares do século XXI: para se pensar
uma infância pós-moderna. Cadernos de pesquisa, São Paulo, v. 40, n.141, p.
965-991, set./dez. 2010.
MOSCOVICI, S. A representação social da Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar
Editores, 1978. (original publicado em 1961);
Volume 5 – Edição Especial – Set/2013 159
www.marilia.unesp.br/scheme
ISSN: 1984-1655
MOSCOVICI, S. Representações sociais. Investigações em Psicologia Social.
Petrópolis - RJ: Vozes, 2003.
PIAGET, J. (1932). O Julgamento moral na criança. São Paulo: Mestre Jou, 1994.
PIAGET, J. A epistemologia genética. Coleção Os pensadores. São Paulo: Abril
cultural. 1975a. p. 127-190.
PIAGET, J. Problemas de epistemologia genética. Coleção Os pensadores. São
Paulo: Abril cultural. 1975b. p.339-426.
SHIMIZU, A. M. Representações sociais e julgamentos morais de jovens: um
estudo intercultural comparando duas abordagens teórico-metodológicas.
2002. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Estadual Paulista, UNESP,
Marília - SP, 2002.
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Imagens da Justiça. Disponível em:
<http://www.stf.jus.br/portal/cms/verTexto>. Acesso em 25 de outubro de
2011.
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO. Imagens da Justiça. Disponível em:
<http://www.tjsp.jus.br/museu/acervo/temis.aspx>. Acesso em 25 de outubro de 2011.
VAZQUEZ, A. S. Ética. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1993.

Downloads

Edição

Seção

Conhecimento e Representações Sociais