Proposta construtivista em questão: análise da experiência brasileira no ensino da leitura e da escrita

Autores

  • Josana Ferreira Bassi de Moura Universidade Virtual do Estado de São Paulo - Ourinhos-SP
  • Adrián Oscar Dongo-Montoya Universidade Estadual Paulista - Marília-SP

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2012.v4n1.p43-69

Palavras-chave:

Construtivismo. Ensino/aprendizagem de leitura/escrita. Alfabetização. Cotidiano escolar.

Resumo

Tantos anos depois da adoção da teoria construtivista pelos Parâmetros Curriculares Nacionais, persiste o insucesso dos alunos na aprendizagem da leitura e da escrita. Este artigo apresenta resultados provenientes de investigação, realizada para procurar compreender as prováveis razões do insucesso dos alunos em leitura e escrita e sua relação com a proposta construtivista de Emília Ferreiro. Foram feitas entrevistas e sessões de observação de sala de aula, com 20 professores do Ensino Fundamental I, de seis escolas municipais da cidade de Ourinhos, com melhor ou pior desempenho na Prova Brasil 2005. O objetivo foi conhecer e analisar a concepção teórica subjacente às práticas, e as próprias práticas adotadas para o ensino e a aprendizagem da leitura e da escrita. Descobriu-se que não é possível atribuir-se o fracasso à adoção dos pressupostos construtivistas, visto que a maioria dos professores possui uma concepção não construtivista de ensino e de aprendizagem e não se apoia, de fato, nas pesquisas de Ferreiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BECKER, Fernando. A epistemologia do professor: o cotidiano da escola.
Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.
DONGO-MONTOYA, A.O. Piaget e a criança favelada: Epistemologia Genética,
diagnóstico e soluções. Petrópolis, Vozes, 1996.
DONGO-MONTOYA, A.O. “Representações e construção do conhecimento”
In: Schème – Revista eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas – vol. I
nº 1 – jan/jun, 2008, disponível em http://www.marilia.unesp.br/schème,
acesso em 18/12/2009.
FERREIRO, E. e TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre:
ArtMed, 1999.
FERREIRO, E. Atualidade de Jean Piaget. Porto Alegre: ArtMed, 2001a.
FERREIRO, E. Reflexões sobre a alfabetização. São Paulo: Cortez, 2001b.
FERREIRO, E. Cultura escrita e educação. Porto Alegre: ArtMed, 2001c.
FOUCAMBERT, J. A criança, o professor e a leitura. Porto Alegre: Artes Médicas,
1997.
FOUCAMBERT, J. A leitura em questão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.
GOIS, A. “Construtivismo x Método Fônico” in Folha de S. Paulo. 06 de março de
2006, A2.
GOODMAN, K. “O processo de leitura: considerações a respeito das línguas e
do desenvolvimento”. In: FERREIRO, E. (org.) Os processos de leitura. Porto
Alegre: Artes Médicas, 1987.
GOODMAN, K. “Gurues, profesores y los políticos del metodo fónico” In:
Lectura y Vida, Buenos Aires, dicembre 1993.
MOURA, Josana F.B. Insucesso dos alunos em leitura/escrita: as pesquisas de
Ferreiro e o construtivismo piagetiano poderiam ser apontados como causa?.
2009. 234 p. Dissertação (Mestrado em Educação) FFC –UNESP – Marília.
PIAGET, Jean e outros. Problemas de psicolingüística. São Paulo: Mestre Jou, s/d
(1ª ed. em português 1973).
PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança. 3ª ed. São Paulo: Ed. LTC, c1990.
PIAGET, Jean. O nascimento da inteligência. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1970.
PIAGET, Jean. Para onde vai a educação. Rio de Janeiro: José Olympio Editora,
1973.
PIAGET, J. Seis estudos de Psicologia. Rio de Janeiro: Companhia Editora Forense,
1972. (Coleção Culturas em Debate)
Volume 4 Número 1 – Jan-Jul/2012 69
www.marilia.unesp.br/scheme
ISSN: 1984-1655
SMITH, F. Leitura Significativa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.
SMITH, F. Compreendendo a leitura: uma análise psicolingüística da leitura e do
aprender a ler. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

Downloads

Edição

Seção

Artigos