Moral e Afetividade em Piaget: Os "Movimentos Íntimos da Consciência" em O Juízo Moral na Criança

Autores

  • Maurício Bronzatto Faculdade de São Roque
  • Ricardo Leite Camargo Universidade de São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2010.v3n5.1969

Palavras-chave:

Moral e Afetividade. O juízo moral na criança. Moral da reciprocidade. Relações especiais de afeição. Contágio dos exemplos. Movimentos de simpatia. Autorrespeito.

Resumo

Embora não tenha construído uma teoria sobre o querer fazer moral, Piaget deixou consideráveis indícios de como esse sentimento precisa ser procurado nos “movimentos íntimos da consciência”, noção que muitas pesquisas atuais vêm se incumbindo de desenvolver. Referência de que comumente se lança mão para provar que o tema da afetividade ocupava a atenção de Piaget é o curso ministrado por ele na Universidade de Sorbonne (Paris), nos anos 1953-1954. Porém, se quisermos recuar ao nascedouro desse interesse, sobretudo no que diz respeito à sua relação com a moral, é à obra “O juízo moral na criança”(1932) que devemos recorrer. Eis o que procuramos reconhecer neste artigo, observando, entre outros aspectos, que a noção do bem, de acordo com Piaget, é a última tomada de consciência da condição primeira da vida moral: a necessidade de afeição recíproca. Ou seja, na aurora do desenvolvimento humano, estão presentes elementos de que se utilizará posteriormente a moral da reciprocidade: entre eles, uma afeição mútua espontânea que, além de apontar para a busca futura de imagens positivas de si, motiva a criança a atitudes de generosidade e sacrifício, a demonstrações comoventes não orientadas pela obediência, portanto mais atraentes e objeto de maior investimento afetivo nas escolhas que definirão o tipo de pessoa que a criança virá a ser, não obstante os processos inevitáveis de descontinuidade que a intervenção da coação adulta e suas decorrências instauram (mais ou menos acentuadas de acordo com o caráter combinado dos pais e da criança e o ambiente, que pode favorecer mais a consolidação do medo ou a do amor).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADLER, A. El sentido de la vida. Barcelona: Luis Miracle, 1935
ARAÚJO, U. F. Conto de escola: a vergonha como um regulador moral. Campinas:
Editora Moderna, 1999.
ASSIS, E. R. de. O companheirismo moral e a formação de valores em jovens
universitários. Dissertação (Mestrado em Educação) - Unesp: Araraquara SP,
2009.
D?AUREA-TARDELI, D. A manifestação da solidariedade em adolescentes – um
estudo sobre a personalidade moral. Tese (Doutorado em Psicologia) – IPUSP, São
Paulo, 2006.
DIAS, A. F. (2002). Estudo psicológico sobre o lugar das virtudes no universo moral
aos 7 anos de idade: as crianças de primeira série discutem coragem e generosidade.
Dissertação (Mestrado em Psicologia). Instituto de Psicologia, USP: São Paulo,
2002
FREITAS, L. A moral na obra de Jean Piaget: um projeto inacabado. São
Paulo:Cortez, 2003.
LA TAILLE, Y. de. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em
discussão./Yves de La Taille, Marta Kohl de Oliveira, Heloysa Dantas. São Paulo:
Summus, 1992.
_______________ Vergonha, a ferida moral. Petrópolis, RJ, Vozes, 2002.
_______________ Moral e Ética: dimensões intelectuais e afetivas. Porto Alegre:
Artmed, 2006a.
______________ . A importância da generosidade no início da gênese da
moralidade na criança. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.10, nº 1, Porto Alegre,
2006b.
PAULINO, L. R. A construção da solidariedade em ambientes escolares. Dissertação
(Mestrado em Educação), Faculdade de Educação, Unicamp, Campinas, SP,
2001.
PIAGET, J. El psicoanálisis y sus relaciones com la psicología del niño. In: G.
Delahanty, G. P. (Comp.). Piaget y el psicoanálisis. México:
UniversidadeAutônoma Metropolitana, p.181-290, 1994 (originalmente
publicado em 1920).
______________. O Juízo Moral Na Criança. São Paulo: Summus, 1994
(originalmente publicado em 1932)
______________ . Las relaciones entre la inteligencia y la afectividad en el
desarrollo del niño. In: G. Delahanty & J. Perrés (Orgs.). Piaget y el psicoanálisis.
Volume 3 Número 5 – Jan-Jul/2010 109
www.marilia.unesp.br/scheme
ISSN: 1984-1655
México, DF: Universidad Autónoma Metropolitana, p.181-287, 1994
(originalmente publicado em 1954)
TOGNETTA, L.R.P. Sentimentos e virtudes: um estudo sobre a generosidade ligada às
representações de si. Tese (Doutorado em Psicologia), USP, São Paulo, 2006.

Downloads

Edição

Seção

Artigos