Ensaio sobre os termos Aprendizagem e Conhecimento segundo considerações de Piaget e Kant

Autores

  • Sávio Silveira de Queiroz Universidade Federal do Espírito Santo
  • Cláudia Patrocínio Pedroza Canal Instituto de Ensino Superior e Formação Avançada de Vitória
  • Juliana Peterle Ronchi Programa de Pós Graduação da Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2010.v3n5.1968

Palavras-chave:

Piaget; Kant; aprendizagem; conhecimento.

Resumo

Nosso objetivo é trazer considerações e rever as implicações da utilização dos termos Aprendizagem e Conhecimento em Psicologia e Epistemologia Genética, segundo a obra de Piaget, utilizando Kant como interlocutor, uma vez que a obra piagetiana traz marcadamente influências desse autor. Pretendemos compor bases de pensamento científico para outras pesquisas que visem à retomada dos significados originais dos termos, obedecendo a suas perspectivas históricas e filosóficas. Os escritos de Kant possibilitam retorno aos conceitos chave para entendimento dos termos aprendizagem e conhecimento para Piaget. Em face da complexidade do assunto, discutimos a necessidade de se adotar perspectivas mais complexas do que aquelas atualmente utilizadas nos âmbitos psicológicos e educacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BECKER, F. Aprendizagem – concepções contraditórias. Schème – Revista
Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas, v. 1, n. 1, p. 53-73, 2008.
Disponível em: <http://www.marilia.unesp.br/scheme>. Acesso em: 11 abr.
2010.
BENEVIDES, P. S.; COLAÇO, V. F. R. Kant e Piaget: articulações discursivas
entre a filosofia transcendental e a epistemologia genética. Arquivos Brasileiros
de Psicologia, v. 56, n. 1, p. 57-68, 2004.
Volume 3 Número 5 – Jan-Jul/2010 77
www.marilia.unesp.br/scheme
ISSN: 1984-1655
BIAGGIO, A. M. B. Universalismo versus relativismo no julgamento moral.
Psicologia Reflexão e Crítica, v. 12, n. 1, p. 5-20, 1999.
BOTO, C. Ética e educação clássica: virtude e felicidade no justo meio.
Educação & sociedade, v. 22, n. 76, p. 121-146, 2001.
CASTORINA, J. A.; BAQUERO, R. J. Dialética e psicologia do
desenvolvimento: o pensamento de Piaget e Vygotsky. Tradução: Fátima
Murad. Porto Alegre: Artmed, 2008.
DONGO-MONTOYA, A. O. Teoria da aprendizagem na obra de Piaget. São
Paulo: Editora da UNESP, 2009. Resenha de: MOURA, J. F. B. DE. Revista
Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas, v. 2, n. 3, p. 348-355, 2009.
Disponível em: <http://www.marilia.unesp.br/scheme>. Acesso em: 11 abr.
2010.
DORON, R.; PAROT, F. Dictionnaire de psychologie. Paris: Presses
Universitaires, 1991.
FREITAS, L. B. L. Do mundo amoral à possibilidade de ação moral. Psicologia
Reflexão e Crítica, v. 12, n. 2, p. 447-458, 1999.
FREITAS, L. B. L. (2002). Piaget e a consciência moral: um kantismo evolutivo?.
Psicologia Reflexão e Crítica, v. 15, n. 2, p. 303-308, 2002.
HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Dicionário eletrônico Houaiss da Língua
Portuguesa. São Paulo: Objetiva [2001]. CD-ROM.
KANT, I. Crítica da Faculdade do Juízo. Rio de Janeiro: Forense Universitária.
1995. (Original publicado em 1793).
KANT, I. Crítica da Razão Pura. São Paulo: Martin Claret, 2001. (Original
publicado em 1781).
Volume 3 Número 5 – Jan-Jul/2010 78
www.marilia.unesp.br/scheme
ISSN: 1984-1655
KANT, I. Crítica da Razão Prática. São Paulo: Martin Claret, 2003. (Original
publicado em 1788).
PIAGET, J. Biologia e Conhecimento. Rio de Janeiro: Vozes, 2000. (Original
publicado em 1967).
PIAGET, J.; GRÉCO, P. Aprendizagem e Conhecimento. Rio de Janeiro: Freitas
Bastos, 1974. (Original publicado em 1959).
PIAGET, J. As formas elementares da dialética. São Paulo: Casa do Psicólogo,
1996. (Original publicado em 1980).
PIAGET, J. Abstração Reflexionante. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.
(Original publicado em 1977).
PIAGET, J. Epistemologia genética. São Paulo: Martins fontes, 2007. (Original
publicado em 1970).
PIAGET, J. A construção do real na criança. São Paulo: Editora Ática, 2008.
(Original publicado em 1937).
PINHEIRO, R. C.; QUEIROZ, S. S. de. As contribuições da dialética de Piaget
para a construção do conhecimento. In: Desenvolvimento humano e
aprendizagem: algumas análises e pesquisas. ENUMO, S. R. F.; QUEIROZ, S.
S. DE; GARCIA, A. (orgs.). São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003. p. 103-120.
QUEIROZ, S. S. de. Epistemologia Genética, Psicologia Genética,
Construtivismo, Dialética... – como juntar todas estas coisas complicadas? In:
Olhares Diversos: estudando o desenvolvimento humano. NOVO, H. A.;
MENANDRO, M. C. S. (org.). Vitória: UFES. Programa de Pós-Graduação em
Psicologia: CAPES, 2000. p. 35-50.
Volume 3 Número 5 – Jan-Jul/2010 79
www.marilia.unesp.br/scheme
ISSN: 1984-1655
QUEIROZ, S. S.; RONCHI, J. P.; TOKUMARU, R. S. Constituição das Regras e o
Desenvolvimento Moral na Teoria de Piaget: Uma reflexão Kantiana.
Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 22, n. 1, p. 69-75, 2009.
RAMOZZI-CHIAROTTINO, Z. Psicologia e epistemologia genética de Jean
Piaget. São Paulo: EPU, 1988.
RAMOZZI-CHIAROTTINO, Z. Em busca do sentido da obra de Jean Piaget.
São Paulo: Ática, 1994.
REALE, G.; ANTISERI, D. História da filosofia: Do humanismo a Kant. São
Paulo: Paulus, 1990.
WADSWORTH, B. J. Inteligência e afetividade da criança na teoria de Piaget.
São Paulo: Pioneira, 1997.

Downloads

Edição

Seção

Artigos