A CONSTRUÇÃO DA ESTRUTURA DE SERIAÇÃO OPERATÓRIA NO PENSAMENTO DE ESTUDANTES QUE APRESENTAM DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM

Autores

Palavras-chave:

Dificuldade de Aprendizagem, Construção do Pensamento, Seriação

Resumo

O objetivo desta investigação foi avaliar a Tomada de Consciência de alunos identificados com dificuldade de aprendizagem. A partir de observação da sala de aula, em parceria com as professoras regentes das turmas, foi selecionada uma amostra de 12 estudantes da Educação Infantil (Pré 5) e do Ensino Fundamental (1º, 2º, 3º, 4º e 5º ano), com idade entre 5 e 12 anos. Foram selecionados em cada turma um aluno que apresenta Dificuldade de Aprendizagem (DA), mas sem laudo, e um aluno que Não apresenta Dificuldade de Aprendizagem (NDA). Dessa forma, a amostra contou com seis crianças integrantes de cada grupo. A partir do aporte teórico do Método Clínico (2002), os dados foram obtidos a partir de uma prova piagetiana denominada “Prova dos Bastonetes”, que possibilitou determinar o diagnóstico da Seriação Operatória e analisar a Tomada de Consciência da Seriação. Os resultados obtidos evidenciaram que, entre os estudantes da amostra indicados como apresentando DA, nenhum possui comportamento operatório da Seriação (SO). Com relação à Tomada de Consciência da Seriação, os estudantes indicados como apresentando DA transitaram entre os níveis IA bis e IB. Nenhum dos participantes desta pesquisa alcançou o nível IIA, em que a criança apresenta reversibilidade no pensamento. Foi evidenciado um atraso de 3 a 5 anos no desenvolvimento da estrutura lógica elementar da Seriação em alguns estudantes indicados como apresentando DA. Entre os representantes dos estudantes do grupo NDA foi observado que 67% possui comportamento operatório da SO. Com relação à Tomada de Consciência da Seriação entre os estudantes indicados como NDA, 67% estão no nível IIA, ou seja, já adquiriram reversibilidade operatória. A partir deste estudo, espera-se contribuir para a compreensão e análise de como o sujeito constrói
o conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSIS, O. Z. M. A solicitação do meio e a construção das estruturas lógicas elementares na criança. 1976. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. UNICAMP: Campinas, 1976.

Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/253079. Acesso em: 17 jul. 2018.

BECKER, F. Educação e construção do conhecimento. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

CARVALHO, L. C.; MANTOVANI DE ASSIS, O. Z. A psicogênese das estruturas cognitivas de crianças com dificuldades de aprendizagem e a noção de multiplicação. Atas CIAIQ2019, v. 1, p. 427-436, 2019.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Resolução nº 196 de 10 de outubro de 1996. Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas envolvendo Seres Humanos. Brasília, 1996. Disponível em: https://www.ufrgs.br/bioetica/res19696.htm. Acesso em: 02 jul. 2018.

CORSO, H. V.; SPERB, T. M.; INCHAUSTI G. J.; SALLES, J. F. Metacognição e funções executivas: relações entre os conceitos e implicações para a aprendizagem. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 29, n. 1, p. 21-29, 2013.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DELVAL, J. Introdução à prática do método clínico: descobrindo o pensamento das crianças. Porto Alegre: Artmed, 2002.

DOLLE, JM. Para além de Freud e Piaget: referenciais para novas perspectivas em Psicologia. Tradução: Guilherme João de Freitas Teixeira. Petrópolis – RJ: Vozes,1993.

MONTAGERO, J.; NAVILLE, D. M. Piaget ou a inteligência em evolução. Tradução: Fernando Becker e Tânia Beatriz Iwaszko Marques. Porto Alegre: Artmed, 1998.

MOURÃO JR., C. A.; MELO, L. B. R. Integração de três conceitos: Função executiva, memória de trabalho e aprendizado. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 27, p. 309-314, 2011.

MUNAKATA, Y., Michaelson L., Barker J., Chevalier N. As Funções Executivas na Infância. Em: Tremblay RE, Boivin M, Peters RDeV, eds. Morton JB, ed. tema. Enciclopédia sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância [on-line].

http://www.enciclopedia-crianca.com/funcoes-executivas/segundoespecialistas/funcoes-executivas-na-infancia. Publicado: Janeiro 2013 (Inglês). Acesso em: 10 jun. 2018.

OCDE. Análises e reflexões sobre o desempenho dos estudantes brasileiros/OCDE. São Paulo: Fundação Santillana, 2016.

PIAGET, J. Development and learning. In: LAVATELLY, C. S. E STENDLER, F. Reading in child behavior andmdevelopment. New York: Hartcourt Brace Janovich, 1972.

__________. A tomada de consciência. São Paulo: Melhoramentos, 1977.

PIAGET, J.; INHELDER, B. A Psicologia da Criança. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1993.

PIAGET, J.; INHELDER, B. A Gênese das Estruturas Lógicas Elementares.Tradução: Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

RELVAS, M. P. Neurociência e transtornos de aprendizagem: As múltiplas Eficiências para uma Educação Inclusiva. 6 ed. Rio de Janeiro: Wak, 2015.

WEISS, M. L. L. Psicopedagogia Clínica: uma visão diagnóstica. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

ZIEDE, M. K. L.; ARAGÓN, R. Projetos de Aprendizagem: fazendo para compreender. CAMINE: Caminhos da Educação, v. 7, n. 1, p. 175-189, 2015.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Edição

Seção

Artigos