Sobre a Revista

Foco e Escopo

A Revista Novos Rumos é uma publicação do Instituto Astrojildo Pereira e da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista, campus Marília. Tem como foco acompanhar, analisar e criticar os fundamentos do tempo presente, mas a partir de um campo cultural e de um ponto de vista teórico e metodológico bem delimitado, que é aquele que tem na obra Karl Marx e no projeto da emancipação humana a sua clara origem e referência. A Revista reúne artigos relacionados aos temas: crítica da economia política; análise crítica do imperialismo; reflexões sobre autores da tradição iniciada por Karl Marx e Friedrich Engels; experiências socialistas do século XX e XXI; mundo do trabalho no Brasil e no Mundo e Crítica Cultural.

 

Periodicidade

A Revista Novos Rumos é uma publicação semestral.

 

Política de Preservação Digital

A Revista é hospedada no Portal de Periódicos da UNESP, o que garante a preservação de seu conteúdo digital de duas formas. Cópias de segurança (backups) são realizadas diariamente. O conteúdo também é preservado pela Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital (Rede Cariniana). Como iniciativa do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), a Rede Cariniana faz parte do programa Lots of Copies Keep Stuff Safe (LOCKSS), da Stanford University.

 

Política de Direito Autoral (PHP)

Os autores cedem o direito exclusivo de primeira publicação à Revista, sendo o trabalho licenciado simultaneamente sob a licença Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY). Esta licença permite que terceiros remixem, adaptem e criem a partir do trabalho publicado, atribuindo o devido crédito de autoria e publicação inicial neste periódico. Os autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada neste periódico (por exemplo: publicar em repositório institucional, em site pessoal, publicar uma tradução ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial neste periódico.

 

Política de Acesso Livre (PHP)

Para garantir uma maior democratização do acesso ao conhecimento científico, o periódico adota a licença Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY). Os leitores têm acesso livre e imediato ao conteúdo. O periódico autoriza a distribuição, remixagem, adaptação e criação da obra, mesmo para fins comerciais, desde que o crédito seja atribuído ao autor.

 

Compromisso Ético

O periódico segue os padrões éticos de publicação do Committee on Publication Ethics (COPE), cujos princípios estão descritos aqui. Práticas de plágio, autoplágio, falsificação e fabricação de dados não são permitidas. Essas más condutas científicas são definidas, respectivamente, pela Academia Brasileira de Ciências da seguinte maneira neste endereço

  1. Plágio envolvendo a apropriação de ideias e do trabalho de outros sem o crédito devido;
  2. Autoplágio ou republicação de resultados científicos já divulgados, como se fossem novos, sem informar publicação prévia;
  3. Falsificação ou manipulação de dados, procedimentos e resultados;
  4. Fabricação de resultados e de registros como se fossem reais;

A Comissão Editorial se compromete com os princípios de impessoalidade, transparência e confidencialidade nas avaliações, preservando os direitos de avaliadores/as, autores/as e instituições envolvidos/as no processo editorial.

Todos os manuscritos submetidos ao periódico são examinados por meio de programas de detecção de plágio (Turnitin). Se plágio, autoplágio (reciclagem de texto) ou publicação redundante for identificado, os editores tomarão medidas seguindo as diretrizes do Comitê de Ética em Publicações-COPE e considerarão a possibilidade de suspender o processo de avaliação ou retratar uma publicação (conforme a Política de errata e Retratação).

 

Diretrizes e Avaliação por pares

Toda contribuição submetida à Revista passa, primeiramente, por uma avaliação preliminar dos Editores que analisa a adequação dos trabalhos segundo a linha editorial da Revista, sua adequação ao escopo, e aspectos como contribuição e ineditismo do texto. As submissões que passaram pelo processo de verificação editorial, são encaminhadas para duas/dois avaliadoras/es ad hoc especializadas/os na temática, que servirão de subsídio aos editores, podendo-se consultar um/a terceira/o parecerista em caso de conflito nas avaliações. O sistema de revisão é duplo cego (Double Blind Review): os nomes dos/as pareceristas permanecerão em sigilo, omitindo-se também os nomes dos/as autores/as perante os/as pareceristas.  

Os critérios para a avaliação dos artigos levam em conta relevância do tema, originalidade da contribuição nas áreas temáticas da Revista, clareza do texto, adequação da bibliografia, estruturação e desenvolvimento teórico, metodologia utilizada, conclusões e contribuição oferecida para o conhecimento da área.

Os pareceres poderão resultar em 4 tipos de avaliações: Aceitar; Aceitar com revisões; Submeter novamente para avaliação; Rejeitar.

A publicação de trabalhos está condicionada ao cumprimento das recomendações dos pareceristas.

 

Política de Errata e Retratação (PHP)

As diretrizes do COPE (aqui) e do Council of Science Editors (aqui) são seguidas para a correção de artigos. Com base nessas fontes, há três métodos para a correção de literatura científica:

  1. Errata - se refere a emendas ou alterações em partes do artigo. As correções podem ser em título do artigo, nomes dos/as autores/as e erros tipográficos ou de diagramação;
  2. Retratação - se refere a correções parciais do artigo em razão de erros metodológicos, análise incorreta de dados, má conduta científica ou pesquisa não reprodutível. Também há a possibilidade de retirada do artigo por completo da página da revista;
  3. Expressão de preocupação - se refere à publicação de um aviso pelo/a editor/a quando há preocupação sobre a confiabilidade de um artigo, mas as informações são insuficientes para justificar uma retratação.

Os editores analisarão todas as comunicações que apontem problemas em uma publicação, sejam menores ou significativos. Os pedidos de correções devem ser enviados para os e-mails: delroio@terra.com.br; angel.lovatto@gmail.com e novosrumos@marilia.unesp.br. Se os editores confirmarem as alegações, eles podem considerar solicitar aos autores a correção de erros ou enganos pontuais, ou podem considerar retratar uma publicação, baseando-se nas diretrizes do COPE (aqui) e do Council of Science Editors (aqui) para a correção de artigos.

Os editores podem considerar retratar uma publicação quando:

  1. a) Os autores se recusarem a corrigir erros ou enganos quando solicitados pelos editores;
    b) Existe evidência clara de que os achados da pesquisa não são confiáveis, seja como resultado de erro robusto, invenção (por exemplo, de informações) ou falsificação (por exemplo, manipulação de imagens);
    c) Houver plágio, autoplágio ou publicação redundante;
    d) Os achados da pesquisa foram publicados previamente em outro lugar e não há citação, comunicação do fato aos editores, permissão para publicar novamente ou justificação;
    e) Contém informações ou materiais sem autorização para uso;
    f) Direitos Autorais foram infringidos ou existe alguma outra questão legal relevante (por exemplo, no uso de imagens sem permissão);
    g) Apresenta pesquisa antiética;
    h) Foi publicado apenas com base em uma avaliação por pares comprometida ou manipulada;
    i) Os autores não comunicaram um conflito de interesse relevante que, na perspectiva dos editores, teria afetado indevidamente as interpretações do manuscrito ou as recomendações dos editores e dos pareceristas.

Os editores não considerarão retratar uma publicação quando:

  1. a) Existe disputa pela autoria da publicação, mas não há motivo para duvidar da validade dos achados da pesquisa;
    b) Os principais achados da pesquisa ainda são confiáveis, e uma correção pode corrigir eventuais erros;
    c) Os editores possuem evidência inconclusiva para fundamentar a retratação ou aguardam informações adicionais, como as provenientes de investigação institucional;
    d) Conflitos de interesses dos autores foram comunicados ao periódico após a publicação, mas na perspectiva dos editores não influenciaram as interpretações ou conclusões do artigo.

O pedido e a escrita da correção devem ser feitos pelo/a autor/a responsável pelo artigo. Caso haja discordância entre os/as autores/as sobre o que está sendo corrigido, o/a editor/a do periódico se torna responsável pela escrita da correção. A errata, retratação ou expressão de preocupação será publicada o mais rapidamente possível, permanecendo o artigo na página da revista com a respectiva indicação de correção.

 

Condições de Submissão

Para que a proposição seja aceita, o primeiro passo consiste em verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. Os autores e/ou coautores deverão excluir seu nome ou qualquer referência a ele de todo o corpo do texto a ser submetido, substituindo-o por “Autor”.


- A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista.

- O artigo contém ao menos um dos membros com título de Doutor.

- O artigo está redigido em língua portuguesa ou espanhola.

- O número máximo de três autores em um artigo. A exceção é aberta para pesquisas que ultrapassem esse número, mediante justificativa aos editores.

- Todos os autores e/ou coautores devem ter cadastro no ORCID (https://orcid.org)

- O arquivo deve ser submetido em extensão .DOC em folha formato A4.

- O artigo deve ter a extensão máxima de 45 mil caracteres com espaços (incluindo referências).

- Margem superior e esquerda de 3 cm; margem inferior e direita de 2,5 cm.

- O arquivo deve conter obrigatoriamente: título, resumos, palavras- chave, corpo do texto e referências.

- Palavras em língua estrangeira devem ser grafadas em itálico.

- Título e subtítulo do texto: Times New Roman, tamanho 14, caixa alta, alinhamento centralizado, espaçamento entre linhas 1,15.

- Título, subtítulo e resumo devem ser redigidos em português, inglês e
espanhol ou italiano.

As submissões que não estiverem de acordo com as normas acima serão
devolvidas aos autores.

 

Histórico da Revista

A revista Novos Rumos é expressão político cultural do Instituto Astrojildo Pereira desde o início de 1986, quando começou a circular. A revista (assim como o IAP) passou por fases diversas, acompanhando o fluxo do tempo político e cultural, fazendo parte, na sua miudez, da contradição em processo no nosso tempo. Manteve sempre o objetivo de acompanhar, perscrutar e criticar os fundamentos do tempo presente, mas a partir de um campo cultural e de um ponto de vista teórico e metodológico bem delimitado, que é aquele que tem na obra Karl Marx e no projeto da emancipação humana a sua clara origem e referência. Uma rápida consulta às edições publicadas indica como a revista tem se dedicado a apresentar textos teóricos de qualidade, textos que enriquecem o conhecimento da história do marxismo e do movimento operário e revolucionário, textos que esclarecem a necessidade de se afirmar o trabalho como fundamento do ser social do homem, além de artigos de crítica do imperialismo atual, de critica cultural e outras. O mérito principal da qualidade que a revista exibiu na última década, cabe a toda a diretoria do IAP e ao conselho de redação, mas, principalmente e sem dúvida, ao editor Antonio Roberto Bertelli, que, em outro papel, continuará a colaborar com a revista.

O Instituto Astrojildo Pereira, por sua vez, além da revista Novos Rumos, em especial depois de 1992, tem-se esmerado na recuperação e preservação da memória histórica do movimento operário e das esquerdas. Esse esforço redundou em profícua associação com o CEDEM - Centro de Documentação e Memória da UNESP, que hoje é o depositário do Arquivo Histórico do Movimento Operário Brasileiro do IAP, importante fonte de pesquisa sobre esse tema.

Depois de mais de duas décadas de circulação, a revista Novos Rumos adentra em nova fase, produto da constatação da convergência de ações do Instituto Astrojildo Pereira, do Grupo de Pesquisa “Cultura e Política do Mundo do Trabalho” e de algumas linhas de pesquisa centradas no tema essencial do trabalho, que estão presentes na UNESP. Assim, a partir deste número que reinaugura sua circulação, a revista Novos Rumos passa a ser expressão, como sempre, do IAP, mas agora também do GP Cultura e Política do Mundo do Trabalho e de linha de pesquisa existente na Faculdade de Filosofia e Ciências, dedicada aos estudos sobre As determinações do trabalho: sociabilidade, política e cultura, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. A decorrência dessa parceria entre a UNESP-FFC e o IAP, entre outras mudanças, redundou em ampla alteração nos conselhos de redação e editorial da publicação, que assume um perfil intelectual e cultural ainda mais altamente qualificado e de dimensão nacional (e internacional). Aspecto presente desde as origens da publicação, a inserção internacional da Novos Rumos faz parte de uma exigência que seus editores sempre consideraram fundamental para o amplo debate teórico, histórico e cultural, o que trouxe às suas páginas contribuições de autores contemporâneos de ponta, além da imprescindível presença de autores clássicos das ciências sociais e políticas.