HANS JONAS E O NIILISMO GNÓSTICO: “A MAIS RADICAL REBELIÃO CONTRA A PHYSIS”

Autores

  • Thiago Vasconcelos Doutorando em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) em cotutela com a Universidade de Coimbra

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-8900.2018.v10.n25.17.p263

Palavras-chave:

Hans Jonas, Gnosticismo, Niilismo

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar os estudos de Hans Jonas sobre os movimentos gnósticos e a formulação do princípio gnóstico que busca captar o elemento principal da pluralidade de vozes presentes no gnosticismo, a saber, o niilismo radical que se manifesta como uma revolta contra o mundo. Neste sentido, destaca-se a importância do diálogo entre Bultmann, Heidegger e Jonas em torno do conceito de desmitologização, que influenciará de modo fundamental a interpretação jonasiana da literatura gnóstica. Por fim, pretende-se analisar de que modo o anticosmismo e o antinomismo gnóstico se revelam como a mais radical rebelião contra a physis ao se oporem à compreensão grega de Cosmos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-01-09

Edição

Seção

Artigos