WITTGENSTEIN, A ARBITRARIEDADE DA GRAMÁTICA E O FIM DA FILOSOFIA ESPECULATIVA

Autores

  • Pedro Henrique Nogueira Pizzutti Mestrando em Filosofia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL)

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-8900.2018.v10.n25.15.p233

Palavras-chave:

Wittgenstein, Arbitrariedade da gramática, Filosofia especulativa

Resumo

Tendo como definição de modo especulativo de se fazer Filosofia a busca por um conhecimento a priori, essencial, necessário e universal, da estrutura do mundo. O presente trabalho tem o objetivo de apresentar a ideia wittgensteiniana de arbitrariedade da gramática e conceitos relacionados, tais como: proposição gramatical e forma de representação, e a partir deles dissolver as tentativas de uma Filosofia a partir dos moldes especulativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-01-09

Edição

Seção

Artigos