A RELAÇÃO ENTRE A HISTÓRIA DAS CIÊNCIAS E A IMAGEM DA CIÊNCIA: O CASO DA FEBRE PUERPERAL NO SÉCULO XIX

Autores

  • Lília Ferreira Souza Queiroz Graduanda do curso de Licenciatura em Biologia pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
  • Deivide Garcia Silva Oliveira Professor Adjunto Doutor do Departamento de Licenciatura em Biologia da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
  • Thaís Soares Silva Graduanda do curso de Licenciatura em Biologia pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
  • Lília Santos Neri Graduanda do curso de Licenciatura em Biologia pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-8900.2018.v10.n25.14.p217

Palavras-chave:

História das Ciências, Imagem da ciência, Ensino de ciências

Resumo

A História das ciências é reconhecida mundialmente entre filósofos e educadores como elemento fundamental no ensino-aprendizagem das ciências. Entretanto, no presente artigo procura-se mostrar que não é qualquer História das ciências apresentada que pode ser assim considerada. Quando a abordagem histórica possui uma descrição simplista e baseada em recortes, facilmente pode-se conduzir o estudante a formação de uma imagem inadequada da ciência e distorcida do desenvolvimento científico, como exemplificado nesse trabalho, através do desdobramento da análise de Oliveira e Fernandez (2007) da descrição de Hempel (1974), sobre o caso histórico da febre puerperal do século XIX. Contrariamente, defendemos uma abordagem mais concreta e menos partidária possível da História das Ciências, pois, pode fornecer subsídios para o entendimento dos conceitos científicos abordados e uma compreensão crítica da ciência, haja vista que, essa evidencia os elementos internos e externos inerentes à ciência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-01-09

Edição

Seção

Artigos