O PROBLEMA DA IDENTIDADE PESSOAL À LUZ DO MONISMO DE TRIPLO ASPECTO

Autores

  • Daniel Luporini de Faria Mestre em Filosofia da Mente, Lógica e Epistemologia pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), Campus de Marília

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-8900.2017.v9n21.05.p35

Resumo

No presente trabalho, objetiva-se reavaliar o clássico problema da identidade pessoal à luz do Monismo de Triplo Aspecto (MTA) de Alfredo Pereira Jr., discutindo em que sentido a dimensão sentimental, trazida pelo projeto científico-filosófico de Pereira Jr. pode contribuir na caracterização de um modelo de identidade pessoal que vá além do cognitivismo de matriz cartesiana. Diferentemente de Descartes, que entendia que a identidade pessoal residia exclusivamente na alma, alma esta exclusivamente pautada pela racionalidade, Pereira Jr. procura trazer à baila a dimensão sentimental, que como a relação matéria/energia e a informação, seriam aspectos fundamentais da natureza e complementares. O modelo de identidade pessoal que defenderemos seria um modelo processual, onde cognição e sentimento estariam em permanente re-organização ou reciclagem, que marcam o Eu individual. O presente trabalho, cremos, seria útil não apenas a estudantes de filosofia ou cientistas da mente e do cérebro, sendo relevante, especialmente, à filosofia do direito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-03-15

Edição

Seção

Artigos