RACIONALIDADE E ONTOLOGIA: PERSPECTIVAS ÉTICO-INCLUSIVAS NA FILOSOFIA DE MEAD, MERLEAU-PONTY E WALDENFELS

Autores

  • Márcio JUNGLOS (PUC/RS e UnC)

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-8900.2013.v5n09.4504

Palavras-chave:

Inclusividade. Responsividade. Herbert Mead. Merleau-Ponty. Waldenfels.

Resumo

Este artigo procurará analisar o desenvolvimento da sociedade a partir de um viés ético- inclusivo. O paradoxo inclusivo/exclusivo não pode ser resolvido ao nível de uma racionalidade discursiva. Muito menos através de uma concepção teleologia que transparece um
ideal, do qual todas as diferenças se ajustam a uma democracia do tipo universalizada em Herbert Mead. Mas, tal paradoxo torna-se indispensável para que possamos compreender o estranhamento como possibilidade e abertura. Em Merleau-Ponty, há um entrelaçamento
latente e necessário para que haja biodiversidade e criação. Desse modo, a própria racionalidade precisa de uma base ontológica que venha a ampliá-la na compreensão de profundos problemas intersubjetivos. Não pretendemos minimizar nossa capacidade de resolvermos nossos problemas através de um diálogo. Nosso propósito é mostrar quando esse se dirige para uma confiança cega na razão, propiciando um déficit ontológico fatal para uma exclusão justificada
socialmente e assumida pela nossa personalidade. Waldenfels procurará o caráter aberto de nossas relações ético-discursivas, proporcionando uma inclusão esperada que contemple o outro não como ameaçador, mas em suas vivências e contribuições possíveis. Dessa forma, a
responsividade traz uma contribuição importantíssima para o paradoxo inclusivo/exclusivo que é insolúvel ao nível racional, mas que se torna necessário para que o outro seja visto lá, onde a razão mostra sua invisibilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio JUNGLOS (PUC/RS e UnC)

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Downloads

Publicado

2014-12-18

Edição

Seção

Artigos