A CONSCIÊNCIA NA FILOSOFIA DA MENTE DE HENRI BERGSON

Autores

Palavras-chave:

Duração, Consciência, Matéria, Pampsiquismo, Mente

Resumo

A filosofia da mente contemporânea, bem como as neurociências, desenvolveu nos últimos 70 anos avanços inéditos na investigação da mente. Muito antes desse cenário, contudo, o filósofo francês Henri Bergson (1859 - 1941) apresentou abordagens ontológicas e metodológicas de investigação que compartilham semelhanças importantes com o debate contemporâneo. Em seu artigo intitulado A Alma e o Corpo de 1916, Bergson anunciava problemáticas acerca da superveniência mente-cérebro e esboçava intuições úteis para a compreensão da natureza da consciência. A despeito de sua complicada proposta cosmológica assentada na concepção metafísica de duração, é possível conjecturar, com ressalvas, possíveis perspectivas do autor dentro do atual debate da filosofia da mente quanto ao estatuto da consciência. Assim sendo, teremos, como objetivo geral, a tarefa de visitar algumas obras de Bergson a fim de tentar situá-lo dentro das discussões contemporâneas acerca da consciência, bem como tentaremos, mais especificamente, mostrar algumas das intuições importantes que Bergson oferece para o atual debate com a sua metafísica da duração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRANTES, P.4). Naturalismo em filosofia da mente. In A. Ferreira, M. E. Q. Gonzales, & J. G. Coelho (Eds.), Encontro com as Ciências Cognitivas, p. 5–37, 2004. (Coleção Estudos Cognitivos).

______. Thomas Nagel e os limites de um reducionismo fisicalista (uma introdução ao artigo “What is it like to be a bat?”). Cadernos de História E Filosofia Da Ciência, 15(1), 223–244, 2005.

BERGSON, H. Duração e Simultaneidade: a propósito da teoria de Einstein. São Paulo: Martins Fontes, 2006a.

______. Matéria e Memória (3a Edição). São Paulo: Martins Fontes, 2006b.

______. O pensamento e o movente. São Paulo: Martins Fontes, 2006c.

______. A Energia Espiritual. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

______. A Evolução Criadora. São Paulo: UNESP, 2010.

______. Ensaio sobre os Dados Imediatos da Consciência. Lisboa: Edições 70, 2011.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Edição

Seção

Artigos