APROXIMAÇÕES DA TEORIA DO DISCURSO DE LACLAU E MOUFFE EM RELAÇÃO À ONTOLOGIA FUNDAMENTAL DE MARTIN HEIDEGGER

Autores

  • Camila Batista Doutorando em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e pela Umane dell'Università degli Studi di Ferrara (Itália) https://orcid.org/0000-0003-0023-4109
  • Thiago Ehrenfried Nogueira Doutorando em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e pela Umane dell'Università degli Studi di Ferrara (Itália) https://orcid.org/0000-0001-7116-0683

Palavras-chave:

Político, Diferença ontológica, Laclau, Heidegger

Resumo

O objetivo deste ensaio é investigar a influência da teoria da diferença ontológica de Martin Heidegger para o desenvolvimento da filosofia política de Ernesto Laclau (1935-2014) e Chantal Mouffe. A partir do comparativo Schmitt-Heidegger será possível estabelecer uma linha de pensamento que caracteriza a formação política baseada na diferença ontológica heideggeriana e, com isso, estabelecer semelhanças e dessemelhanças no que tange ao desenvolvimento da teoria do discurso, de acordo com o terreno das práticas articulatórias, em acordo com o projeto de Laclau e Mouffe. A utilização de Carl Schmitt no artigo corresponde a uma troca de cartas entre Heidegger e Schmitt, apontada por Sá (2015), na qual é possível notar uma influência mútua especialmente na teoria política de Heidegger. Do mesmo modo, apontaremos como as obras separadas de Chantal Mouffe e Ernesto Laclau se aproximam ou se distanciam do jurista alemão, dada a importância do desenvolvimento de seu conceito de “político”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BATISTA, C. Breves considerações acerca da obra de 1985 de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe. IN X encontro nacional de pesquisa em filosofia da UFPR, 2017, Curitiba. Cadernos PET Filosofia, 2017. v. 3. p. 58-59.

______.; FALABRETTI, E. S. Hegemonia e estratégia socialista: da revolução democrática à democracia 'radical' em Ernesto Laclau e Chantal Mouffe. 2019. 106 f. Dissertação (Mestrado) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2019. Disponível em: http://www.biblioteca.pucpr.br/pergamum/biblioteca/img.php?arquivo=/00007f/00007fec.pdf Acesso em: 10 out. 2019.

______.; MARTINEZ, H. A Influência de Slavoj Zizek no texto Nuevas Reflexiones Sobre La Revolución de Nuestro Tiempo, de Ernesto Laclau. IN Revista Sul-americana de Ciência Política, v. 4, n. 1, 2018, p. 27-42.

HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. Tradução, organização, nota prévia, anexos e notas: Fausto Castilho. Campinas, SP: editora Unicamp; Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2014.

LACLAU, E; MOUFFE, C. Hegemonia e Estratégia Socialista: por uma política democrática radical. Tradução de Joanildo A. Burity e Aécio Amaral. Brasília: Editora Intermeios, 2015. p. 163-178.

______. A Razão Populista. Tradução: Carlos Eugênio Marcondes de Moura. São Paulo: Três Estrelas, 2012.

______. Nuevas Reflexiones Sobre la Revolución de Nuestro Tiempo. Buenos AiresEdiciones Nueva Visión, 1990.

MOUFFE, C. On the Political. New York: Routledge, 2005.

SÁ, A. F. Heidegger e a política da diferença ontológica. IN O que nos faz pensar, nº 336, março de 2015, p. 89-105.

______. Soberania e Poder Total: Carl Schmitt e uma reflexão sobre o futuro. IN

Revista Filosófica de Coimbra – nº 20 (2001), p. 427-460.

SCHMITT, C. O conceito do Político/ Teoria do Partisan. Coordenação e Supervisão Luiz Moreira; tradução de Geraldo de Carvalho. Belo Horizonte: Del Rey, 2008.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Edição

Seção

Artigos