Aspects of motor development and quality of life in the context of child obesity

Authors

  • Maria Iara Socorro Martins Universidade Federal do Ceará
  • Natália Aguiar Moraes Vitoriano Centro Universitário Fametro
  • Cristiany Azevedo Martins Hospital Universitário Walter Cantídio
  • Elisete Mendes Carvalho Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal do Ceará
  • Renata Viana Brígido de Moura Jucá Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal do Ceará
  • Jamille Soares Moreira Alves Maternidade Escola Assis Chateaubriand
  • Heraldo Simões Ferreira Universidade Estadual do Ceará
  • Daniela Gardano Bucharles Mont’Alverne Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.36311/jhgd.v31.11071

Keywords:

pediatric obesity, motor disorders, child health, quality of life, family relations

Abstract

Introduction: Child development is a period of progressive and complex transformations related to growth, maturation, learning, motor skills, and psychosocial issues.

Objective: Analyze the influence of obesity on the aspects of motor development and quality of life of children aged three to eight years, and and their mothers’ levels of anxiety and depression.

Methods: Cross-sectional descriptive and quantitative approach study with children enrolled and attended at a pediatric endocrinology in Fortaleza, CE, in the period between June and November 2017. The study sample consisted of 24 children from three to eight years of age. We used the anthropometric quantification, the Motor Development Scale, and the Pediatric Quality of Life Inventory (PedsQL™) for children. We applied the Beck anxiety and depression questionnaires for mothers.

Results: 16 were female, and 17 were severely obese. Most of the sample showed motor development changes 42,85% classified as “inferior” in the obesity category, and 41.17% in the severely obese category. Both groups revealed”complete right-handed” and “undefined” laterality in around 40% of the individuals. The quality of life had a low mean score. The majority of mothers from both groups presented minimal anxiety and depression.

Conclusions: Obesity interferes negatively with the overall motor development, determination of laterality, and quality of life of children, perceiving more severe levels of anxiety and depression in mothers of children severely obesity.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Jardim JB, Souza IL. Obesidade infantil no Brasil: uma revisão integrativa. JMPHC| Journal of Management & Primary Health Care. 2017; 8 (1): 66-90. DOI: https://doi.org/10.14295/jmphc.v8i1.275

Lemos AP. Obesidade e síndrome metabólica em adolescentes: implicações futuras [tese de mestrado]. Coimbra (PT): UC; 2014.

Borges JBC, Figueiredo JC, Carvalho MBR, Carvalho SMR. Avaliação do índice de massa corporal e risco cardiovascular em crianças e adolescentes de uma escola particular na cidade de Marília, SP. Temas em Educ. e Saúde. 2017; 6:9-30.

Amaral CMD, De Oliveira JRG, Sampaio AA. Estratégias e ações na prevenção da obesidade em escolares. Lecturas: Educación Física y Deportes. 2016; 21 (222): 1-10.

Miranda RA, Navarro AC. A obesidade infantil e o efeito do exercício agudo da natação e a resposta da sudorese para um desenvolvimento saudável. Rev Bras de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2016; 10(56): 93-104.

Brasil – Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde - departamento de atenção básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Brasil – Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde – departamento de atenção básica. Incorporação das curvas de crescimento da Organização Mundial da Saúde de 2006 e 2007 no SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

Rosa Neto F. Manual da Avaliação Motora. Porto Alegre: Artemed; 2002.

Da Silveira RA, Cardoso FL, Souza CA. Avaliação do desenvolvimento motor de escolares com três baterias motoras: EDM, MABC-2 e TGMD-2. Cinergis. 2014; 15(3): 140-7.

Souza JGS, Pamponet MA, Souza TCS, Pereira AR, Souza AGS, Martins AMEBL. Instrumentos utilizados na avaliação da qualidade de vida de crianças brasileiras. Rev Paul Pediatr. 2014; 32(2): 272-8.

Guimarães MAP, Quadros Júnior MC, Fonseca MA, Amorim CR, Pinto Júnior EP. Características socioeconômicas, prática de atividade física e qualidade de vida de escolares da rede pública. Arq Ciênc Saúde. 2015; 22 (2): 57-62. DOI: https://doi.org/10.17696/2318-3691.22.2.2015.144

Terra FS. Avaliação da ansiedade, depressão e autoestima em docentes de Enfermagem de universidades pública e privada [tese de doutorado]. São Paulo (SP): USP; 2010.

Flores MR, Ramos AP, Moraes A, Beltrami L. Associação entre indicadores de risco ao desenvolvimento infantil e estado emocional materno. Rev. CEFAC. 2012; 15 (2): 348-360. DOI: 10.1590/S1516-18462012005000046

Pazin J., Frainer DES, Moreira D. Crianças obesas têm atraso no desenvolvimento motor. Rev Digital. 2006; 11 (101).

Cheng, J, East, P, Blanco, E, Sim, EK, Castillo, M, Lozoff, B et al. Obesity leads to declines in motor skills across childhood. Child Care Health Dev. 2016; 42 (3): 343-350. DOI: 10.1111/cch.12336

Poeta LS, Duarte MFS, Giuliano ICB, Silva JC, Santos APM, Rosa Neto F. Desenvolvimento motor de crianças obesas. R. Bras. Ci. e Mov. 2010;18(4):18-25.

Brum KO. Aptidão física e motora em escolares obesos [tese de mestrado]. Florianópolis (SC): UDESC; 2009.

Fachineto S; Forchezatto R. Lateralidade e equilíbrio em crianças de 1ª a 3ª série do município de Descanso/SC-diagnóstico e proposta de intervenção. Cinergis, 2010; 10 (1).

Tsiros MD, Olds T, Buckley JD, Grimshaw P, Brennan L, Walkley J et al. Health-related quality of life in obese children and adolescents. Int J Obes. 2009; 33 (4): 387-400. DOI: 10.1038/ijo.2009.42

Merlin GK, silva WB, Clezar CJ, Silva J Daniel, Avena JP, Sartori RF, Brauner VLP, Fernandes P. Análise do desenvolvimento motor e correlação como índice de massa corporal em crianças de uma escola pública de Porto Alegre. REDSIS [Internet]. 21º de fevereiro de 2014; 43-54. Disponível em: https://periodicos.furg.br/redsis/article/view/4190

Catenassi FZ, Marques I, Bastos CB, Basso L, Ronque ERV, Gerage AM. Relação entre índice de massa corporal e habilidade motora grossa em crianças de quatro a seis anos. Rev Bras Med Esporte. 2007; 13(4): 227-30. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-86922007000400003

Nascimento MMR, Melo TR, Pinto RMC, Morales NMO, Mendonça TMS, Paro HBMS, et al. Percepção dos pais acerca da qualidade de vida relacionada à saúde de crianças e adolescentes com excesso de peso. J Pediatr. 2016; 92(1): 65—72. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jped.2015.04.006

Silva CP, Bittar CML. Fatores ambientais e psicológicos que influenciam na obesidade infantil. Saud Pesqu. 2012; 5 (1): 197-207.

Luiz AMAG, Gorayeb R, Liberatore Junior RDR. Avaliação de depressão, problemas de comportamento e competência social em crianças obesas. Estud. Psicol. 2010; 27(1): 41-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2010000100005

Borba LN. Estudo da associação entre tratamento para transtornos da ansiedade na infância e habilidades sociais e sintomatologia parental [tese de mestrado]. Porto Alegre (RS): UFRGS; 2014.

Bolsoni-Silva AT, Loureiro SR, Marturano EM. Comportamentos internalizantes: associações com habilidades sociais, práticas educativas, recursos do ambiente familiar e depressão materna. Psico. 2016; 47(2): 111-120. DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2016.2.20806

Brentani A, Fink G. Maternal depression and child development: Evidence from São Paulo’s Western Region Cohort Study. Rev Assoc Med Bras. 2016; 62(6): 524-529. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.62.06.524

Lampard AM, Franckle RL, Davison KK. Maternal depression and childhood obesity: a systematic review. Prev Med. 2014; 59:60-7. DOI: 10.1016/j.ypmed.2013.11.020

Published

2021-03-31

Issue

Section

ORIGINAL ARTICLES